Pastor relata curas de pessoas com coronavírus na China

O número de pessoas infectadas pelo coronavírus na China passa de 70 mil

Pastor relata cura de pessoas com coronavírus na China

O pastor Frank Amedia, em entrevista à revista cristã Charisma, relatou curas de pessoas infectadas com coronavírus na China. O pastor Amedia, lidera o Ministério Pouts Shield, que atuou na cidade de Whan, antes da pandemia.

“Tivemos relatos de cristãos sendo curados deste vírus pelo poder de Deus e pela cura de Deus”. Conta ele. “Minhas fontes me dizem a mesma coisa, sempre que há esse tipo de problema como aconteceu com a SARS”.

O coronavírus que agora foi batizado de (COVID-19), segundo o pastor é a terceira praga a atingir a China no período desta geração. No entanto, ele ressalta que o governo é opressor, as pessoas procuram ajuda em outro lugar.

Amedia explica, que é quando a igreja tem a oportunidade pregar o Evangelho. Nos disseram que as pessoas estão vindo em multidões para as igrejas. Inclusive as domésticas, porque há evangelismo nas ruas, de pessoa a pessoa, há cura sobrenatural”. Afirmou.

O pastor disse que há muitas informações sobre o coronavírus, que não são relatadas pela mídia. Até esta quarta-feira (19), a Organização Mundial da Saúde informou que o número de mortos na China chegou a 2.114, com número de pessoas infectadas passando dos 70 mil. 

Segundo fontes da Amedia, no entanto, o número de mortes e infecções é muito maior do que os meios de comunicação estão retratando. O pastor acredita que o número de mortes está na casa das dezenas de milhares.

Wuhan, epicentro do coronavírus

“O que ouvimos é, enquanto isso estava sendo suprimido pelo governo da China, pessoas estavam morrendo em Wuhan, que é a capital da província de Hubei, na área central da área industrial da China”, diz Amedia.

Nos disseram que as pessoas estavam morrendo antes mesmo da internação. Os hospitais não sabiam o que fazer com elas. Disseram para voltarem para casa, mas elas estavam morrendo.

E a maioria das histórias que estamos recebendo é que muitas delas foram cremadas rapidamente. A maioria, nem sequer foram identificadas para suas famílias, que ainda procuram pessoas. Disse o pastor.

O vírus também não é restrito a Wuhan, mas está espalhado por toda a China, que estabeleceu quarentenas em diversas áreas, indica Amedia, baseado em relatos de cristãos e empresários chineses.

O pastor ainda revelou que há registros de mais de 2 milhões de assinaturas de cidadãos chineses pedindo transparência e verdade na China. O número de pessoas infectadas pelo coronavírus na China passa de 70 mil 

As autoridades chinesas acreditam que o coronavírus se originou em um mercado de Wuhan que vendia frutos do mar e carne de animais selvagens, incluindo morcegos e víboras.

Seguindo suposições de especialistas internacionais, Amedia acredita que o vírus foi originado em laboratório P4, localizado a cerca de 32 quilômetros do mercado que originalmente se acreditava ser o ponto de partida do vírus.