Mark Zuckerberg diz que as lutas da vida o tornou ‘mais religioso’

“Os últimos anos foram realmente humildes para mim. Eu me tornei mais religioso”, disse Zuckerberg.

Mark Zuckerberg diz que as lutas da vida o tornou mais religioso
Mark Zuckerberg diz que as lutas da vida o tornou ‘mais religioso’

O fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou que as dificuldades que enfrentou nos últimos anos o fez pensar mais sobre o significado da vida, disse o bilionário no Silicon Slopes na última sexta-feira, 31 de janeiro.

Não foi fácil para o especialista em tecnologia bilionário nos últimos dois anos. Zuckerberg gastou menos tempo fazendo apresentações sofisticadas para desenvolvedores da Web, e mais tempo no Congresso americano, respondendo sobre a manipulação de dados que sua empresa de mídia social, foi acusada.

Durante a conferência no Silicon Slopes Tech Summit, na noite de sexta-feira, Mark Zuckerberg fez uma recontagem dos erros que cometeu no processo de crescimento do Facebook, a maior empresa de mídia social do mundo.

E, quando foi perguntado sobre quem ele procura por orientação, Zuckerberg teve uma resposta que recebeu aplausos da plateia de Utah.

“Os últimos anos foram realmente humildes para mim. Eu me tornei mais religioso”, disse o empresário, de acordo com a Deseret News.

De origem Judaica, Zuckerberg observou que, quando a vida fica difícil, você se pergunta se existe algo “maior que nós”.

“Todos precisamos sentir que somos partes de coisas que são maiores que nós”, acrescentou. “O trabalho é importante … mas, no final das contas, somos todos pessoas e você precisa de sua família, amigos e comunidades ao seu redor.”

“Você precisa acreditar em coisas que são maiores que você.”

Ainda no Vale do Silício, Zuckerberg também destacou seus sentimentos de que o Facebook, em última análise, é sobre a criação de um lugar onde todos possam participar, independentemente de seus antecedentes.

Embora historicamente ele tenha se definido como ateu, nos últimos anos, Mark Zuckerberg parece cada vez mais solidário com a religião.

Em 2017, ele passou meses viajando pelos EUA para se reunir com vários líderes religiosos, a fim de entender melhor a natureza dos relacionamentos, dentro de uma comunidade de fé, e chegou visitar o centro de apoio de uma igreja Batista.

O magnata da mídia social – que vale cerca de US $ 74 bilhões – disse que procurava encontrar ministros “que estão ajudando suas congregações a encontrar um significado mais profundo em um mundo em mudança”.