Incêndio em orfanato cristão mata 15 crianças no Haiti

Duas crianças morreram completamente carbonizadas

Incêndio em orfanato cristão mata 15 crianças no Haiti
O incêndio atingiu o orfanato cristão (Foto: Reprodução Reuters)

Pelo menos 15 crianças morreram em um incêndio que ocorreu durante a noite em um orfanato cristão no Haiti, administrado por um grupo religioso dos EUA, disseram autoridades nessa sexta-feira (14).

Duas crianças morreram completamente queimadas e 13 outras morreram devido à inalação de fumaça no incêndio que devastou o orfanato da Igreja do Entendimento da Bíblia, na Pensilvânia, em Kenscoff, ao sul da capital.

A causa do incêndio é desconhecida. Uma das crianças do orfanato disse à Reuters, que estava usando velas porque a energia no bloco havia acabado e um gerador não estava funcionando.

Arielle Jeanty Villedrouin, diretora do Instituto de Bem-Estar Social, disse que o grupo religioso não tinha licença para operar a instituição, que abrigava cerca de 60 crianças.

Os “orfanatos” – que na realidade abrigam não apenas órfãos, mas crianças cujos pais acham que não podem cuidar deles – proliferaram após o terremoto de 2010 no Haiti, que matou dezenas de milhares.

No entanto, apenas 35 de 754 dessas instituições estão oficialmente autorizadas, com outras 100 no processo de obtenção de uma licença. O governo fechou cerca de 160 instituições nos últimos cinco anos, disse Villedrouin, e proibiu mais a abertura.

“Vamos colocá-los em um centro provisório enquanto pesquisamos sobre suas famílias e vemos se podemos reuni-los com seus pais”, disse ela à Reuters.

Quatro em cada cinco das cerca de 30.000 crianças nos orfanatos do Haiti têm pais vivos, diz um levantamento segundo o governo.

O grupo responsável pelo orfanato, disse em nota no seu site que abriu seu primeiro orfanato no Haiti há quase 40 anos, com o objetivo principal de “espalhar o Evangelho a todos e todos que o receberem”.

“Peço às autoridades relevantes que tomem medidas urgentes para descobrirem a causa desse incêndio“, escreveu o presidente do grupo Jovenel Moise, em uma rede social, expressando sua profunda tristeza”.

Quase 60% dos 11,2 milhões de habitantes do Haiti sobrevivem com menos de 2,40 dólares por dia, segundo o Banco Mundial.

Pobreza, deficiência e falta de acesso a cuidados básicos de saúde, educação e serviços sociais significam que muitos pais haitianos mandam seus filhos para os orfanatos – ou para parentes ricos. Os que são acolhidos por parentes são usados ​​como criados ou isolados de crianças em casa e raramente são enviados para a escola, dizem os críticos.

As crianças que vivem em centenas de orfanatos sofrem abuso sexual e físico e algumas são traficadas para orfanatos com fins lucrativos, a fim de atrair doações, escreveu a instituição de caridade Lumos, sediada em Londres, em um relatório há três anos.