Deputado quer proibir o uso de símbolos religiosos no carnaval

O uso de símbolos religiosos na tradicional festa de rua do "Carnaval", é sempre recorrente pelas escolas de samba e têm causado polêmicas.

Deputado quer proibir o uso de símbolos religiosos no carnaval
Deputado quer proibir o uso de símbolos religiosos no carnaval

O deputado Rosenverg Reis (MDB-RJ), apresentou à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), um Projeto de Lei que proíbe Blocos de carnaval utilizarem símbolos religiosos cristãos “sem a devida autorização da respectiva instituição religiosa”.

A proposta do deputado Rosenverg, é uma “emenda” de um projeto que já foi assinado por 13 deputados, que visa regulamentar os blocos tradicionais de rua no Rio, que não possui estrutura física montada, como palcos e equipamentos de som.

O presidente da Alerj, o deputado André Ceciliano (PT), é o principal articulador na assembleia para a aprovação do projeto. Segundo ele, a lei pode até começar a valer para o carnaval de 2020. Segundo informações do G1.

De acordo com o texto original, os blocos de rua são manifestações culturais e não devem obedecer essas exigências para que possam desfilar.

“É livre em todo o território do Estado do Rio de Janeiro, a manifestação de pensamento, popular, cultural, inclusive os blocos carnavalescos de rua, sendo vedada a estipulação de regras e/ou exigências que tenham por objetivo dificultar a sua realização”, diz o texto do projeto.

O uso de símbolos religiosos na tradicional festa de rua do “Carnaval”, é sempre recorrente pelas escolas de samba e têm causado polêmicas, como no ano passado a paulista Gaviões da Fiel, no seu enredo retratou a “derrota de Cristo” por Satanás, no carnaval paulista.

Deputado quer proibir o uso de símbolos religiosos no carnaval
Gaviões da Fiel, derrota de Jesus

A iniciativa da escola de samba paulistana na época, provocou a indignação em milhares cristãos e parlamentares, em debates sobre a diferença entre liberdade de expressão, cultura e vilipêndio aos símbolos sagrados.