Deputado britânico diz que a fé o ajudou “ver uma luz na escuridão”

Em um momento de desespero, ele levou seus filhos à igreja, o que o levou a encontrar fé

Deputado britânico diz que a fé o ajudou ver uma luz na escuridão
Deputado britânico diz que a fé o ajudou “ver uma luz na escuridão”

O deputado britânico Stuart Anderson, revelou recentemente como ir à igreja e encontrar fé depois de lutar contra problemas de saúde mental o ajudou a “ver uma luz na escuridão”, e desistir da ideia em tirar a própria vida.

Na última quinta-feira o parlamentar fez seu primeiro discurso na Câmara dos Comuns, e contou um relato sincero de como ele acabou se tornando um deputado de Wolverhampton, que é uma cidade metropolitana do condado de West Midlands, na Inglaterra.

Durante seu discurso inaugural o deputado conservador, 43 anos, disse que considerava tirar a própria vida depois que sofreu um “acidente” nas Forças Armadas.

Anderson disse que se voltou para o álcool para “escapar da realidade” durante uma carreira distinta no exército britânico, que o serviu como atirador do Royal Green Jackets em The Troubles na Irlanda do Norte, assim como na Bósnia e Kosovo.

Mas ele disse que seus esforços para bloquear a dor, causada por um tiro em um acidente de treinamento, o levaram a viver em um “coma virtual”, onde era incapaz de sentir emoções. Ele disse que finalmente decidiu acabar com sua vida.

Falando aos parlamentares Anderson disse ao Commons: “A decisão que tomei para calar minha dor quando levei um tiro significou que eu lutava para sentir algo emocionalmente.

“Eu estava entorpecido. Quanto mais eu progredia, mais a dor doía. Eu estava passando a vida em coma virtual. Eu passava as noites sozinho na minha garagem, bebendo, olhando para uma parede de tijolos, desejando que minha vida terminasse.”

“Lembro que o primeiro pensamento da manhã em que abri os olhos foi de pavor de não ter morrido durante o sono.”

O parlamentar citou o arcebispo Desmond Tutu: “Uma vez ele descreveu a esperança como a capacidade de ver a luz na escuridão. Cheguei a um lugar onde não tinha esperança. Já bastava e finalmente decidi encerrar minha vida.”

Ele descreveu o que me fez parar, e desistir daquela ideia: “Enquanto eu estava no processo, pensei que me parasse. Não queria que meus filhos crescessem sem um pai como eu.

“Eu não pude fazê-lo. Na verdade, senti um fracasso por não poder tirar minha própria vida. Não havia como escapar da vida em que estava. Estava preso. Na minha opinião, minha vida acabou. Eu recebi uma mão ruim, e essa era a minha vida.”

O homem de 43 anos disse aos parlamentares que, em um momento de desespero, ele levou seus filhos à igreja, o que o levou a encontrar fé e aprender a “enfrentar a realidade”.

“Há muitas razões pelas quais as pessoas ficam desesperadas. Quando eu estava tentando fazer algo certo com minha família, encontrei fé. Pela primeira vez em muitos anos, pude ver uma esperança e um futuro.”

Como o lema de Wolverhampton diz, da escuridão vem a luz. Eu podia ver a luz da escuridão, disse ele. Anderson foi parabenizado pelos colegas conservadores depois de fazer seu primeiro discurso no Commons.