Pastor mata esposa dentro de igreja e comete suicídio no Quênia

Os fiéis tentaram intervir para impedir o ataque, mas ele já havia desferido vários golpes

Pastor mata esposa dentro de igreja e comete suicídio no Quênia
Pastor mata esposa dentro de igreja e comete suicídio no Quênia

Um pastor no condado de Mombasa no Quênia, surpreendeu os fiéis após mata a esposa dentro da igreja e comete suicídio durante o culto no último domingo (5), quando cortou a própria garganta depois de esfaquear a mulher várias vezes.

Testemunhas disseram que o pastor Elisha Misiko, 55 anos, do Ministério dos Evangelhos de Ground for God em Mombasa, e sua esposa, a pastora Anne Mughoi, estavam brigando há meses pela administração da igreja.

“Os dois dirigem a igreja há mais de oito anos, mas, nos últimos meses, diferiam quanto à administração”, disse o ancião da vila Mtengo Amuri ao jornal, Daily Nation do Quênia.

O pastor acusou sua esposa, Anne Mghoi, mãe de quatro filhos, de conspirar para expulsá-lo da igreja que ele alegou ter fundado.

As tensões entre os dois explodiram inesperadamente no domingo, quando Misiko entrou calmamente na igreja, por volta das 9h, disseram os fiéis ao Daily Nation, e sentou-se ao lado de sua esposa no púlpito.

Enquanto o serviço estava em andamento, Misiko levantou-se do banco e parecia estar dizendo algo para sua esposa, mas rapidamente puxou duas facas de debaixo da camisa e começou a esfaqueá-la várias vezes.

“O marido se moveu furtivamente em direção a sua esposa e a esfaqueou nas costas. Quando ele tentou cortar sua garganta, ela o bloqueou, ferindo a mão”, disse Amuri.

Os fiéis tentaram intervir para impedir o ataque, mas já havia desferido vários golpes de faca contra à esposa. O pastor, em seguida teria cortado sua própria garganta enquanto os fiéis tentavam salvar a esposa.

O pastor Elisha Misiko, caído morto após cometer suicídio
O pastor Elisha Misiko, caído morto após cometer suicídio

A polícia revelou que o pastor Misiko, havia deixado para trás uma carta de 17 páginas sobre o motivo do suicídio. Na carta, Misiko acusou a esposa de infidelidade e apontando ela como uma esposa controladora que queria estar encarregada da propriedade da família.

Ainda na carta, dizia que a infidelidade da esposa e a luta dela para controlar a propriedade da família o levaram à beira do abismo. Ele também a acusou de tentar mantê-lo longe de seus filhos, enquanto o forçava a pagar pensão alimentícia enquanto ela namorava outro homem.

“90% do meu dinheiro enviei para ela (Anne), mas ela escreveu nas mídias sociais que não pago a pensão alimentícia e nem compro roupas”, estava escrito em um trecho da carta.

Quando nos casamos, a vida era difícil, peguei empréstimo e combinei com o dinheiro que havia acumulado para comprar um lote. Comprei um lote para o bem da minha família. “Ela levou tudo o que acumulamos por mais de 19 anos. Ela levou meu lote e equipamentos da igreja à força.” Escreveu na carta.

O comandante da polícia do sub-condado de Mombaça, Julius Kiragu, disse à CNN que em 2017, Misiko chegou a ser preso pela polícia depois que sua esposa o acusou de ameaçar sua vida.

Ele observou ainda que Misiko, foi libertado depois que a polícia concluiu que a acusação era falsa. O casal teria vivido separado nos últimos dois anos desde que as tensões entre eles começaram a aumentar.

A esposa estava tentando ficar longe do marido desde o início da disputa pela propriedade da igreja, até relataram o assunto a outros membros líderes na igreja, mas não conseguiram resolver a disputa, disse o comandante da polícia.