O que mudou na Lista Mundial da Perseguição de 2020?

O que mudou na Lista da Perseguição Mundial 2020, são três países que entram para o ranking dos que mais perseguem cristãos

O que mudou na Lista Mundial da Perseguição de 2020?
O que mudou na Lista Mundial da Perseguição de 2020?

O que mudou na Lista Mundial da Perseguição em 2020, foi a entrada de três novos países, que fazem parte da África Subsaariana, que ingressaram no Top 50 pela primeira vez dos países que mais perseguem cristãos.

A entrada desses três novos países: Burkina Faso, Camarões e Níger, foi no lugar ocupados por; México, Territórios Palestinos e Azerbaijão, que ocupavam as posições antes na lista de 39, 49 e 50, respectivamente.

A Lista avalia a liberdade que um cristão tem para praticar a fé em cinco aspectos, que são: vida privada, família, comunidade, nação e igreja. Além disso, a lista da perseguição leva em conta incidentes violentos ocorridos no período de análise.

Essa avaliação é feita por meio de um questionário respondido por cristãos nos países, que classifica a perseguição local de 0 a 100 pontos. Embora apenas 50 nações estejam na Lista, a pesquisa mostra perseguição em 73 países. Ainda, os 23 restantes estão em uma lista de observação.

+ Mais de 260 milhões de cristãos são perseguidos

Dos países novos, Burkina Faso foi o que se classificou com pontuação mais alta, 66 pontos. Em 2019, se manteve na lista de observação, na 61ª colocação. Porém, um aumento na violência aos cristãos fez com que a pressão se elevasse e o país subisse 33 posições.

Durante o período de pesquisa para a Lista atual 1 de novembro de 2018 a 31 de outubro de 2019, mais de 50 cristãos foram mortos. Isso criou uma atmosfera de medo, com muitos cristãos deixando de participar das igrejas ou mandar os filhos para as escolas. Além disso, muitas igrejas foram destruídas.

Camarões ocupou a 48ª posição. O país teve um aumento de 6 pontos, chegando aos 60 pontos. Isso se deu principalmente por conta do impacto de diferentes tipos de perseguição aos cristãos.

O Boko Haram intensificou seus ataques, infiltrações e recrutamento de jihadistas. Cristãos no país enfrentam intimidação e ataques ao falarem contra as atrocidades que ocorrem no país, ocasionadas pelo governo e separatistas.

Já o Níger, entrou ocupando a última colocação da Lista. O aumento de 7 pontos ocorreu principalmente devido à pressão e violência orquestrada por jihadistas na região do Sahel. No período de análise, o país esteve sob uma série de ataques de militantes.

Igrejas também foram queimadas por manifestantes. Além disso, há conflitos internos com dimensões religiosas e étnicas. Niger, em 2019 ficou na lista de observação, se classificando em 58° lugar.

Capacite cristãos perseguidos

O aumento da perseguição contra cristãos em países da África Subsaariana, é uma tendência devido à disseminação da militância islâmica. Esses países são considerados frágeis e, como o Estado de direito e a governança são ineficazes, as populações cristãs acabam não sendo protegidas pelos governos.

Por isso, cristãos perseguidos na África Subsaariana precisam do seu apoio para auxiliar no crescimento do reino de Deus. Com uma doação você permite que um cristão dessa região participe de discipulado durante 3 meses.