Ataques contra a fé cristã na Europa bate recorde em 2019

Cerca de 3 mil igrejas e monumentos cristãos, foram destruídos ou profanados na Europa em 2019

Ataques contra a fé cristã na Europa bate recorde em 2019
Ataques contra a fé cristã na Europa bate recorde em 2019

A hostilidade contra a fé cristã e símbolos cristãos na Europa Ocidental durante 2019 em ataques às igrejas e lugares sagrados bate recorde, segundo revela dados levantados pelo Instituto Gatestone.

O levantamento do Gatestone, mostra que cerca de 3 mil igrejas e monumentos cristãos, foram destruídos ou profanados na Europa em 2019, diante dos números fatos estes que estão prestes a baterem o recorde com respeito ao sacrilégio anticristão no continente.

A violência contra lugares cristãos acontece com maior frequência na França, onde igrejas, escolas, cemitérios e monumentos são alvo de vandalismo, são incendiados, ataques que ocorrem em média três vezes por dia de acordo com estatísticas do governo. Na Alemanha os ataques contra igrejas cristãs ocorrem em média duas vezes por dia, segundo registros da polícia.

Ataques a igrejas e símbolos cristãos também são corriqueiros na Bélgica, Grã-Bretanha, Dinamarca, Irlanda, Itália e Espanha. Os ataques ocorrem em grande medida contra lugares e símbolos da Igreja Católica Romana, muito embora igrejas protestantes também estejam sendo atacadas na Alemanha.

Os perpetradores dos ataques anticristãos, nos quais os alvos se concentram em incêndios criminosos, zombaria da fé cristã e vários crimes de ódio. Segundo o instituto, a polícia e a mídia costumam censurar os dados a respeito de suas identidades e background étnico. Eles dizem que muitos suspeitos sofrem de transtornos mentais. Em decorrência disso, inúmeros ataques anticristãos não são categorizados como crimes de ódio.

Tanto na França quanto na Alemanha a escalada nos ataques contra cristãos vem na esteira da recente imigração em massa do mundo muçulmano. A falta de estatísticas oficiais sobre os agressores e motivação torna impossível saber com precisão quantos ataques devem ser atribuídos ao anticristianismo muçulmano e quantos à causa jihadista.

Por outro lado, na Espanha, os ataques contra igrejas e cruzes são na maioria dos casos perpetrados por anarquistas, feministas radicais e demais ativistas de extrema esquerda que, ao que tudo indica, não estão medindo esforços para que o cristianismo desapareça de uma vez por todas do cenário público.

A motivação que está por trás dos ataques anticristãos, que de maneira geral são tratados com indiferença pela população e por meios de comunicação. A mídia da Europa, que vivem superestimando ataques contra os muçulmanos, tendem a minimizar os ataques contra os cristãos.

Em entrevista concedida à revista italiana Il Timone, o Bispo de Fréjus-Toulon, Dominique Rey, sustentou que os ataques às igrejas da Europa estão ocorrendo no contexto de uma sociedade europeia marcada pelo secularismo e perda generalizada do sentido do sagrado.