Pastor reclama de discriminação após realizar casamento gay

Pastor reclama de discriminação após realizar casamento gay
Pastor reclama de discriminação após realizar casamento gay

O pastor Márcio Pôncio, após realizar uma cerimônia de um casamento gay na igreja em que lidera no Rio de Janeiro, reclama que está sofrendo discriminação dentro da própria igreja, a comunidade Pentecostal Anabatista.

Segundo o pastor, fiéis e líderes religiosos de outras igrejas, o acusam dele ter cometido o “pecado explícito” por apoiar o matrimônio do casal Hugo e Geraldo, cujos sobrenomes não foram revelados.

Para os membros de outras comunidades, o trabalho de um pastor deve ser o de agradar a Deus acima de todos. Ao realizar o casamento, segundo eles, o pastor estaria em desacordo com essa premissa.

Márcio Pôncio se defende, ao jornal O DIA, o religioso disse que preza pela obediência e que antes de realizar o casamento, consultou seu mentor e pastor presidente, que pediu a ele que seguisse seu coração.

Além do pastor, sua esposa também se envolveu na polêmica ao posar seminua para um ensaio fotográfico ao lado do casal, com intuito de “se despir de todo o preconceito”.

No dia em que o casamento foi celebrado, Pôncio disse que se sentia em paz: “Hoje terei a honra de celebrar o primeiro casamento entre duas pessoas do mesmo sexo na minha vida. Estou muito feliz, me sinto honrado, me sinto em paz.

Sei que ainda é um obstáculo, mas aos poucos pelo amor iremos deixar as diferenças de lado e vamos perceber que sempre fomos um no outro e seremos sempre. Respeito e amo a todos. Que Deus os abençoe, escreveu Márcio em seu Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui