Mineiro proprietário de bar, fecha estabelecimento para abrir igreja

“Eu vendia bebida alcoólica para as pessoas. Isso não fazia bem. Entendi o chamado de Deus.

Mineiro proprietário de bar fecha estabelecimento para abrir igreja
Mineiro proprietário de bar fecha estabelecimento para abrir igreja

O mineiro Osvaldo Henrique da Costa, de 65 anos, após ser batizado e abandonar o vício do cigarro, decidiu fechar o bar em que era proprietário para abrir uma igreja em Betim, Minas Gerais.

Durante 40 anos, o fumo fez parte da vida de Osvaldo, as quatro décadas de intensas tragadas lhe trouxeram cansaço constante, dificuldade para respirar e tosses. O vício o prendia e o angustiava.

Até que um dia recebeu em seu bar um amigo que lhe disse: “Você quer parar de fumar? Estou indo a um curso e já parei”. Empolgado com a conquista, não pensou duas vezes e participou do curso “Como deixar de fumar”, promovido na casa de um adventista, no bairro Bandeirinhas, em Betim, Minas Gerais.

Ele assistiu às palestras e viu filmes sobre a temática. “Pedi a Deus que me livrasse do cigarro naquele dia. Deus ouviu minha oração e nunca mais fumei. Convidei um outro amigo, que também foi. Nós conseguimos abandonar o cigarro a partir daquele dia”, disse Osvaldo, ao Portal da Igreja Adventista.

Os anos se passaram e o grupo de adventistas do bairro Bandeirinhas cresceu. Com isso, surgiu a necessidade de um espaço maior para congregarem. Foi quando encontraram um local disponível para ser alugado, ao lado de um bar. Tanto o bar quanto o ponto eram, coincidentemente, de Osvaldo. Os membros alugaram o espaço e iniciaram um grupo, com cultos semanais. Apesar de estar ao lado de seu estabelecimento, o proprietário não frequentava os cultos.

Só um milagre

No início de 2019, o aposentado descobriu que estava com hemorragia intensa, causada por úlcera. O especialista lhe informou que só um milagre o curaria. “Minha úlcera estourou. Fui fazer o exame, o médico disse que eu tinha arritmia cardíaca e que não poderia tomar o remédio para o coração, por causa da hemorragia. Ele falou que eu deveria contar com a sorte”, relembra ele.

No mesmo período da descoberta da doença, foi iniciada na praça do bairro o evangelismo de Semana Santa. A programação, que ocorre anualmente, relembra do sacrifício de Jesus na cruz para perdão dos pecados da humanidade.

Osvaldo foi convidado. Sentiu o desejo de ir e avisou a esposa, Luciene Felipe Rafael Costa, de 60 anos. “Eu vou lá nessa programação e sei que, pela fé em Deus, serei curado”, anunciou a Luciene.

Oração respondida

“Meu marido orou a Deus e falou que se fosse curado daquela enfermidade, ele O serviria. Há 19 anos eu frequentava outra denominação religiosa, mas como esposa, decidi acompanhá-lo. Foi uma benção. E pela fé em Deus, ele foi curado”, ressalta Luciene.

O bar ficava à direita da foto, e a igreja à esquerda (Foto: Divulgação)
O bar ficava à direita da foto, e a igreja à esquerda (Foto: Divulgação)

Osvaldo e a esposa fizeram estudo bíblico e em setembro de 2019 decidiram fechar o bar e no mês seguinte foram batizados. “Eu vendia bebida alcoólica para as pessoas. Isso não fazia bem. Entendi o chamado de Deus. Decidi fecha o bar e hoje a igreja ficou maior, com mais espaço para as crianças durante a Escola Sabatina”, conta ele com orgulho.