Marcelo Crivella é processado por show gospel no Réveillon do Rio

A entidade também argumenta, que o show da cantora gospel seria igual à uma pregação

Marcelo Crivella é processado por show gospel no Réveillon do Rio
Marcelo Crivella é processado por show gospel no Réveillon do Rio

O prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella, está sendo processado por contratar um show gospel para o Réveillon de Copacabana, em uma ação civil pública movida pela Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea), por ato lesivo ao patrimônio artístico, estético, e turístico.

Na ação movida, a entidade de ateus questiona a programação de shows do Réveillon de Copacabana, e pede o cancelamento da apresentação da cantora gospel Anayle Sullivan, programado para a noite da virada. As informações são da Epoca.

A entidade demanda que o prefeito Marcelo Crivella, que também é bispo da IURD e cantor, seja condenado a devolver aos cofres do município o valor gasto com a apresentação se ela for mantida.

Também é solicitado pela Atea, o pagamento de uma multa de R$ 50 mil se a programação não for alterada. De acordo com a entidade, uso de recursos públicos para contratar Anayle Sullivan desrespeita o princípio da laicidade e argumentam que o Estado não pode promover nenhuma religião.

 Cantora gospel Anayle Sullivan
Cantora gospel Anayle Sullivan

A entidade também argumenta, que o show da cantora gospel seria igual à uma pregação religiosa, a associação alega que a apresentação musical ofende a liberdade de crença de moradores e turistas que pretendem comparecer ao evento.

A estrutura da festa este ano, irá contar com quatro palcos entre os 4 quilômetros da Praia de Copacabana. A expectativa da Prefeitura é superar o recorde de público da última edição, que reuniu 2,8 milhões de pessoas para acompanhar o espetáculo.

Além da cantora gospel Anayle Sullivan, Diogo Nogueira, Ferrugem, a Escola de Samba da Mangueira e DJ Malboro, comemorando os 30 anos do funk, estão confirmados na programação de shows.