Justiça inocenta médico cristão denunciado por orar pelos pacientes

O médico cristão foi denunciado por orar com os pacientes pela entidade, Sociedade Nacional

Justiça inocenta médico cristão denunciado por orar pelos pacientes
Justiça inocenta médico cristão denunciado por orar pelos pacientes

A justiça do Reino Unido inocenta o médico cristão Dr. Richard Scott, que foi denunciado por orar pelos pacientes, de qualquer irregularidade após uma investigação de três meses de que suas orações deixavam um paciente desconfortável.

O Conselho Geral de Medicina que supervisiona e licencia médicos, inocentou o Dr. Richard Scott e disse que não havia evidências de que o médico cristão, 59 anos, tivesse feito algo errado.

O médico cristão foi denunciado por orar com os pacientes pela entidade, Sociedade Nacional Secular (NSS) que apresentou uma queixa em nome de um paciente “altamente vulnerável” dizendo que se “sentiu desconforto com o uso da oração”.

Scott, que é um médico cristão que às vezes ora com pacientes, poderia ter perdido sua licença e emprego. O Conselho Médico Geral disse em uma carta que “não havia nenhum relato em primeira mão de queixa de nenhum paciente sobre a prática do Dr. Scott”.

O NSS enviou um relato anônimo de boatos sobre como o Dr. Scott expressou suas crenças religiosas a um paciente ‘altamente vulnerável. Não há evidências convincentes de que o Dr. Scott, imponha suas crenças religiosas pessoais a pacientes vulneráveis. Disse o Conselho Médico Geral

O Conselho Médico Geral disse que “não há evidências de que Dr. Soctt, discutia a fé em situações em que o paciente declarou que não deseja discutir esses assuntos” ou que “ele continuou a discutir a fé depois que um paciente indicou que eles não aceitam tal discussão.”

O Dr.Scott, foi representado pelo Christian Legal Center, disse que o NSS “estava alvejando não apenas a mim”, mas “também a liberdade de profissionais cristãos em todo o Reino Unido de compartilhar sua fé no local de trabalho”.

“O preço que eu e minha família pagamos, como resultado de uma queixa espúria, era totalmente desnecessário”, disse ele. “No entanto, espero que esse resultado signifique que outros praticantes cristãos não terão que passar por experiências semelhantes.”

Andrea Williams, diretora executiva do Christian Legal Center, aplaudiu a decisão do Conselho Geral de Medicina.

O resultado deste caso “não apenas garante aos médicos e profissionais cristãos em todo o Reino Unido que eles podem compartilhar sua fé no local de trabalho, e também orientações claras sobre como eles podem compartilhá-lo sem medo de perder o emprego.” Disse Williams.