Juiz federal vai processar Netflix por especial de Natal com ‘Jesus gay’

Escolher a principal data do calendário cristão para nos ofender é uma vergonha, disse o juiz

Juiz federal vai processar Netflix por especial de Natal com Jesus gay
Juiz federal vai processar Netflix por especial de Natal com ‘Jesus gay’

O juiz federal William Douglas, através de suas redes sociais disse que vai processar a Netflix pelo filme ‘A Primeira Tentação de Cristo’, especial de Natal da produtora de humor Portas do Fundos, que o segundo magistrado, ofende o sentimento religioso.

“Escolher a principal data do calendário cristão para nos ofender é uma vergonha”, escreveu o magistrado, que é cristão. As informações são do Portal IG.

“Não vou cancelar a assinatura da Netflix; pretendo processar a empresa por ofensa ao sentimento religioso. Se ofende minha crença ou a de outrem, me ofende também. E vamos usar a lei. Viva o respeito ao próximo!”

Em seu perfil no Instagram, Douglas pede para que os mais de 220 mil seguidores assinem o abaixo-assinado para a remoção do filme ‘A Primeira Tentação de Cristo’ do catálogo.

O abaixo-assinado que pede a remoção do longa ‘A Primeira Tentação de Cristo’ do catálogo da Netflix já tem mais de 1,8 milhão de assinaturas. Organizada pelo cerimonialista Alex Brindejoncy no site Charge.org, a petição também pede para que o grupo Porta dos Fundos seja responsabilizado por blasfêmia.

O filme dirigido por Rodrigo Van Der Put, sugere que os personagens; Deus, Maria e José formam um triângulo amoroso. Jesus Cristo (Gregório Duvivier) é gay, e retorna de uma viagem de 44 dias pelo deserto com o namorado Orlando (Fábio Porchat).

O pastor e congressista Marco Feliciano, também criticou a empresa gigante de streaming dizendo que a Netflix havia passado dos limites. “Cristãos e não-cristãos me pediram para agir contra os membros irresponsáveis ​​da Porta do Fundo”, escreveu ele no Twitter.