Cristãos de Gaza estão proibidos de visitar Belém e Jerusalém no Natal

Cristãos de Gaza estão proibidos de visitar Belém e Jerusalém no Natal
Israel proíbe cristãos de Gaza de visitar Belém e Jerusalém no Natal

Reuters – Os cristãos da Faixa de Gaza não poderão visitar cidades santas como Belém e Jerusalém para comemorar o Natal deste ano, disseram autoridades israelenses na quinta-feira.

Os cristãos de Gaza terão permissão de viajar para o exterior, mas ninguém poderá ir a Israel e à Cisjordânia ocupada, lar de muitos locais sagrados para os cristãos, disse uma porta-voz da ligação militar de Israel com os palestinos.

Israel restringe rigidamente os movimentos para fora da Faixa de Gaza, território controlado pelo Hamas, um grupo islâmico que considera uma organização terrorista.

A porta-voz disse que, seguindo as “ordens de segurança”, os habitantes de Gaza teriam permissão para viajar para o exterior pela passagem da fronteira Allenby Bridge com a Jordânia, mas não para visitar cidades em Israel ou na Cisjordânia.

Gaza tem apenas cerca de 1.000 cristãos – a maioria ortodoxos gregos – entre uma população de 2 milhões na estreita faixa costeira.

A decisão deste ano é uma ruptura com a política usual. No ano passado, Israel concedeu licenças para cerca de 700 cristãos de Gaza viajarem para Jerusalém, Belém, Nazaré e outras cidades sagradas que atraem milhares de peregrinos a cada temporada de férias.

Gisha, um grupo de direitos israelenses, disse que a proibição aponta “para a intensificação das restrições de acesso entre as duas partes do território palestino”, chamando de “um aprofundamento da política de separação de Israel” para a Cisjordânia e Gaza.

Os palestinos buscam estabelecer um estado na Cisjordânia e Gaza, território que Israel conquistou na guerra de 1967 no Oriente Médio.

No passado, Israel defendia suas restrições aos habitantes de Gaza que viajam para a Cisjordânia, dizendo que muitos permaneciam la ilegalmente após receberem permissões de curto prazo.

Em Gaza, uma mulher cristã expressou esperança de que Israel reverteria sua política para poder visitar sua família na cidade de Ramallah, na Cisjordânia.

“Todo ano eu rezo para que eles me dêem uma permissão para que eu possa comemorar o Natal e ver minha família”, disse Randa El-Amash, 50, acrescentando: “Será mais alegre comemorar em Belém e em Jerusalém”.

Os líderes cristãos em Jerusalém condenaram a medida, mas acrescentaram que estão apelando às autoridades israelenses para reverter a decisão.

“Outras pessoas ao redor do mundo podem viajar para Belém. Achamos que os cristãos de Gaza também deveriam ter esse direito ”, disse Wadie Abu Nassar, conselheiro dos líderes da igreja local.