Relatório indica aumento na perseguição aos cristãos no mundo

Aumento na perseguição aos cristãos em várias partes do mundo

Relatório indica aumento na perseguição aos cristãos no mundo
Relatório indica aumento na perseguição aos cristãos no mundo (Foto: Reprodução/IN TERRIS)

Um novo relatório divulgado pela fundação italiana (AIS) Ajuda à Igreja que Sofre, indica que houve um aumento na perseguição aos cristãos em várias partes do mundo, entre julho de 2017 a julho de 2019.

Segundo relatório intitulado, “Perseguidos e esquecidos?” que relata as ações de perseguição contra contra cristãos, durante os 25 meses de julho de 2017 a julho deste ano, revelou que um aumento acentuado na perseguição.

A comunidade internacional “está ficando sem tempo se quer salvar a cristandade em várias partes do Oriente Médio”, afirmou a organização neste informativo. “As medidas tomadas até a data podem não ser suficientes para assegurar o futuro da presença da Igreja ali”, segundo à Gaudium Press.

Sobre a situação de urgência para preservar a presença cristã na região, a organização cristã italiana, reconheceu que o nível de perseguição em países como Síria e Iraque diminuíram notavelmente.

No entanto, o impacto deste genocídio na migração contínua na crise de segurança, pobreza extrema e recuperação lenta, significa que agora pode ser um pouco tarde para que algumas comunidades cristãs do Oriente Médio se recuperem, alertou.

O relatório mostra também que em alguns povos e cidades, a contagem regressiva para o desaparecimento do cristianismo é cada vez mais forte.

Além das ameaças para os cristãos no Oriente Médio e os efeitos do genocídio registrado no passado próximo, AIS identificou a situação de violenta perseguição em várias regiões da África, a piora da perseguição no sul e no leste a Ásia, assim como a combinação de fatores que ameaçam os fiéis da região, exemplo: Extremismo islâmico, nacionalismo populista e governos autoritários.

No entanto, a organização assinalou que os cristãos em todo o mundo são considerados como objetivo militar de extremistas que percebem o ataque aos cristãos como uma forma de luta em uma guerra contra o Ocidente.

Apesar da crescente riqueza de informação sobre o tema, o alcance da crise que enfrentam os cristãos perseguidos por sua Fé segue sendo pouco conhecido e entendido, alertou AIS em seu informativo.

“Os estudos mostram constantemente que os cristãos sofrem níveis significativamente altos de perseguição e intolerância”. Conclui a entidade.

O relatório destacou 12 países que registraram piora da perseguição religiosa ou onde as ameaças reconhecidas em relatórios anteriores se mantiveram.

A lista destes países perseguidores é composta por: Birmânia, República Centro-africana, China, Egito, Índia, Iraque, Nigéria, Coreia do Norte, Paquistão, Filipinas, Sri Lanka e Sudão.

Por outro lado, a perseguição de cristãos nos principais países do Oriente Médio, como Síria e Iraque, diminuiu consideravelmente, observa o relatório, devido ao fato da derrota do Estado Islâmico.