Preciso ser batizado para ir para o céu?

A Bíblia ordena o batismo, mas o batismo não nos salva do pecado.

Preciso ser batizado para ir para o céu?
Preciso ser batizado para ir para o céu?

Para responder à pergunta: “Preciso ser batizado para ir para o céu?”, devemos primeiro admitir que existem diferenças de crença no corpo de Cristo; depois, precisamos definir o batismo e o evangelho e, finalmente, buscar o caso bíblico. estudos para nos guiar para a nossa resposta.

Para começar, a resposta curta é: não. O céu não depende dos sacramentos do batismo ou, na verdade, da ceia do Senhor. Mas afirmar isso fica de fora muita discussão necessária. Pois Deus ordenou que um sinal – Seu sinal de distinção, entrada na Família de Deus, de lavagem do pecado fosse instituído e praticado até o fim do mundo.

Portanto, não basta dizer: “Não, você não precisa ser batizado”. Precisamos dar atenção a esse assunto vital. Felizmente, encontraremos não apenas clareza, mas também convicção.

Homens e mulheres de boa vontade e fé que se diferem sobre algumas coisas reveladas na Bíblia, e há uma grande diferença entre discordar da descrença e discordar da . O primeiro é bem diferente do último. Este último, cristãos com diferentes convicções sobre o significado na Bíblia, devemos reconhecer um ao outro como companheiros seguidores de Cristo, que ocupam diferentes posições de interpretação e prática.

No entanto, cada um olha para a Bíblia como um padrão inatacável de fé e vida. Embora seja uma característica marcante do cristianismo protestante que toda pessoa tenha liberdade de consciência, especialmente na interpretação das Escrituras e na liberdade de adorar como vê melhor a Palavra de Deus, também é o ensino de Cristo que deve manter tais convicções em humildade.

O que Cristo disse? – “… porque quem não é contra nós é por nós” (Marcos 9:40).

O apóstolo Paulo resumiu esse enigma de “uma Palavra com opiniões diversas”, e desafiou o obstinado cuja fé foi armada para o combate eclesiástico e nos chamou a mortificar pretensões podres: “Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.”( 1 Coríntios 13:12 ).

Por que o batismo é uma questão de prioridade

Não é de admirar que o batismo seja uma convicção de fé que é tomada como uma doutrina das “primeiras coisas”. Para o batismo, como o outro sacramento, ou sinal da salvação de Deus – o sacramento da Santa Comunhão, ou “a ceia do Senhor” – é um mandamento de nosso Senhor Jesus Cristo. Não iniciamos movimentos e bolsas sobre assuntos secundários. O batismo é de primeira importância na vida da Igreja.

O batismo é nosso testemunho ou é de Deus?

Tanto o batismo como a sagrada comunhão são sinais da Nova Aliança que continuam os sinais de circuncisão da Antiga Aliança e a refeição da Páscoa. 1 Essas duas expressões visíveis da salvação de Deus não são algo que fazemos por Deus, mas algo que Deus fez por nós. O Senhor ordenou que lembrássemos de Sua salvação através da prática desses sacramentos até o fim do mundo.

Portanto, os sinais de enxertar no único corpo verdadeiro de Cristo – isto é, o Batismo – junto com a Comunhão – o sinal de nutrir e cuidar dos que foram salvos – são sinais vitais da vida dentro da igreja.

Tendo dito isso, e reconhecendo que há outras convicção de fé, que receberam as Escrituras para dizer que o batismo é necessário para a salvação, humildemente, mas com firmeza, afirmo que não há nada necessário para a salvação além do arrependimento e fé na obra redentora de Jesus Cristo. Sua vida perfeita, Seu sacrifício expiatório no Calvário.

O batismo pode salvá-lo?

Não é preciso ser batizado para ir para o céu. No entanto, os crentes e seus filhos devem se submeter ao batismo, se puderem. Deus ordenou que sejamos batizados. Mas nosso batismo, a expressão visível do que Deus fez por nós, ou seja, a graça de Deus, não é o poder salvador, mas a autenticação divina da graça de Deus.

A soma das Escrituras nos ensina que o batismo não é o nosso testemunho de Deus sobre o que fizemos por Ele, mas o batismo é o testemunho de Deus para nós a respeito à salvação prometida, tornada possível e aplicada por Deus Pai, Deus filho, e Deus, o Espírito Santo.

Devemos enfatizar o que o Deus enfatizou? Pois Deus não apenas ordenou que os dois sacramentos fossem sinais de salvação serem continuados até o fim do mundo, nosso Senhor Jesus Cristo sempre vinculou o batismo à missão da Igreja no mundo. Pois a Grande Comissão é o mandato final de Cristo para a Igreja e é, nossa primeira responsabilidade.

Não devemos apenas fazer discípulos das nações, mas os discípulos devem ser batizados em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Somente Jesus salva

Mas voltamos à nossa pergunta inicial: você precisa ser batizado para ir para o céu? A Bíblia diz que somos salvos pela graça através da fé e isso não é de nós mesmos: “ Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo ” (Atos 16:31).

A Bíblia também ordena o batismo, mas o batismo não nos salva do pecado. A comunhão não pode salvar. Não é nem a nossa fé que salva, apenas Jesus salva. A fé é um presente de Deus, tornado possível pela graça de Jesus Cristo, pela qual nos apegamos à promessa oferecida livremente. O batismo é o sinal de Deus para marcá-lo, trazê-lo e purificá-lo do pecado.

O ladrão na cruz

O maior exemplo dessa verdade é visto na vida do ladrão na cruz. Este homem que se arrependeu e creu em Jesus Cristo como Deus e Salvador foi para o céu? Ele não foi batizado. Além disso, ele nunca poderia se juntar à comunidade cristã. Ele nunca faria comunhão. Mas ele era tanto um membro do corpo de Cristo quanto qualquer membro da Igreja hoje. As circunstâncias, no entanto, não eram a norma, mas a exceção.

A norma é vista em muitos outros lugares no Novo Testamento. Vamos olhar para duas.

1. O Sermão de Pedro no Pentecostes

No dia de Pentecostes, 50 dias após a Páscoa, e em cumprimento das palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, o Espírito Santo procedeu do Pai e do Filho e desceu sobre os discípulos em uma demonstração extraordinária da presença e poder celestiais.

Naquele dia, o apóstolo Pedro pregou diante da grande multidão da humanidade de todas as partes do Império Romano, e o que ele acrescentou à sua pregação de arrependimento e fé?

E Pedro lhes disse: Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos seus pecados, e você será salvo” (Atos 2:38). Essa deve ser a norma, sempre que possível.

2. O carcereiro e sua família

A outra instância a que me referirei acontece em Atos 16 . São Paulo e Silas estavam na prisão em Filipos. Lembramos que Deus ouviu os hinos e orações dos dois missionários apostólicos e enviou um terremoto para libertá-los da prisão.

O carcereiro temia por sua vida por causa do comprometimento da segurança. De fato, ele preferia a morte por sua própria mão do que cair na cruel acusação de seus superiores severos, mas Paulo o impediu. O oficial correcional romano, portanto, clamou ao apóstolo Paulo: “Senhores, o que devo fazer para ser salvo” (Atos 16:30).

São Paulo e Silas declararam as Boas Novas e esse homem foi salvo. O apóstolo Paulo não somente o batizou, mas a Bíblia diz que Paulo batizou toda a casa (Atos 16: 32-33) .Esta narrativa, juntamente com Atos 2, demonstra o lugar normativo do batismo na missão da igreja e na vida de um crente.

Enquanto o batismo não salva, o batismo significa a atividade gloriosa de Deus em nossas vidas

Mas dizemos novamente: o batismo é um sinal de salvação que é ordenado como norma. Todo crente e seus filhos devem ser batizados, mas há exceções. O bebezinho dos pais de coração partido, morrendo na infância, que agora está cantando louvores àquele que acolheu os filhos e impôs as mãos sobre eles para receber bênçãos. O adolescente – perdido em um acidente de automóvel – que professou fé no Cristo ressuscitado, mas que ainda não havia sido batizado, está seguro nos braços de Jesus.

“Pastor, o que devo fazer para ser salvo?”

A Bíblia declara que você é um pecador, você não pode salvar a si mesmo, Deus punirá o pecado, mas pela graça, Ele estende a você uma nova vida em Seu Filho, Jesus Cristo, totalmente Deus e totalmente Homem, que morreu na cruz por seus pecados, e ressuscitou no terceiro dia.

O batismo não nos salva; batismo significa presença e poder de Deus para nós. Então, se arrependa, seja batizado e batize seus filhos. Mas se a Providência de Deus impedir o sinal da Promessa de Deus, você também estará seguro nos braços do Salvador. Por: Michael A. Milton


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui