Pastor sequestrado pelo Boko Haram é libertado na Nigéria

Pastor sequestrado pelo Boko Haram é libertado na Nigéria
Pastor sequestrado pelo Boko Haram é libertado na Nigéria

O pastor nigeriano Moses Oyeleke, que foi sequestrado há sete meses pelo grupo terrorista islâmico do Boko Haram, foi finalmente libertado na Nigéria. Ele foi forçado renunciar à sua fé em Cristo durante meses, mas permaneceu firme.

Moses Oyeleke, é pastor da Igreja Living Faith, conhecida como “Capela dos Vencedores”, foi libertado junto com uma jovem chamada Ndagilaya Ibrahim Umar, da escola secundária de ciências do governo no nordeste do estado de Borno, na Nigéria.

Segundo os repórteres do Saara, a libertação dos cativos foi facilitada pelo Departamento de Serviço de Estado e pela Iniciativa para o Movimento de Construção da Paz e pela Fundação Kalthum para a Paz.

O pastor foi sequestrado em abril, enquanto viajava por uma estrada no estado de Borno. Na segunda-feira, enquanto visitava o gabinete do vice-governador de Borno, ele conversou com repórteres sobre seu tempo em cativeiro.

“Estávamos a caminho de Chibok quando eles nos pegaram e nos levaram, eles fizeram um desvio e finalmente nos levaram para floresta”, disse Oyeleke, segundo o jornal The Cable. “Éramos nós dois, eu e meu irmão, que não fomos libertados.”

O pastor disse que lhe foi prometido que, quando as discussões terminassem, a irmã mais velha de Amuta e Umar, seria libertada pelo Boko Haram.

“Fiquei em paz com eles por até sete meses. Muitas vezes me pediram para me converter ao islamismo, seus pregadores já haviam pregado muitas vezes, mas você sabe que quando tem sabedoria, se relaciona com as pessoas de uma maneira que não levaria a uma briga”, explicou ele, em um relatório da ICC.

“Quando eles vieram pregar, prestei atenção a tudo o que eles disseram e quando me faziam perguntas sobre coisas que eu sabia que causariam problemas se respondesse, sempre dizia a eles que não sabia para não dizer nada que os ofenderia.” Disse o pastor.

Segundo o The Cable, os sequestradores do pastor teriam entrado em contato com a família de Oyeleke, e o pastor residente da igreja, Victor Samaila, um mês após seu sequestro para exigir um resgate.

A jovem Umar que também foi libertada, falou com a mídia no gabinete do vice-governador. Ela explicou que, na floresta, os extremistas “casam com meninas” e “mulheres não falam com homens”. Desde 2013, os insurgentes do Boko Haram sequestraram mais de 1.000 crianças na Nigéria .

Um dos sequestros mais conhecido do Boko Haram ocorreu em abril de 2014, quando mais de 276 alunas da cidade Chibok, de maioria cristã, foram sequestradas. Embora mais de 100 das alunas tenham sido libertadas, mais de 100 continuam desaparecidas.

Em fevereiro de 2018, 110 alunas foram sequestradas pelo Boko Haram na cidade de Dapchi. Cerca de cinco das alunas morreram, enquanto todas as outras, exceto uma, foram libertadas semanas depois.

A única estudante Dapchi que permanece em cativeiro é Leah Sharibu . Relatos indicam que Sharibu não foi libertada com o resto de seus colegas de classe por causa de sua recusa em negar a Cristo.

A Nigéria está classificada como o 12º pior país do mundo quando se trata de perseguição cristã, de acordo com a Lista de 2019 da Open Doors USA. Além de grupos extremistas como o Boko Haram, as comunidades agrícolas cristãs têm sido frequentemente atacadas por pastores radicais Fulani.

A libertação do pastor, acontece semanas após a libertação de seis alunas cristãs e dois funcionários que foram sequestrados no Engravers ‘College, na aldeia de Kakau Daji, perto da cidade de Kaduna, por suspeitos radicais Fulani, e mantidos por cerca de um mês.

Atualmente, existem cerca de 91 milhões de cristãos vivendo na Nigéria, em uma população total de aproximadamente 195 milhões de pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui