Cristão e sua família são esfaqueados por muçulmano no Egito

A família teria dito à polícia que o agressor pretendia matá-los.

Cristão e sua família são esfaqueados por muçulmano no Egito
Cristão e sua família são esfaqueados por muçulmano no Egito

Um cristão copta está em estado crítico depois que sua família, mãe e seu irmão foram esfaqueados por um homem muçulmano no Egito, na noite de domingo 17 de novembro, segundo relatos da mídia.

O agressor muçulmano em uma vila na província de Minya, no Alto Egito, disse a eles que os cristãos não devem sentar do lado de fora de sua casa, isso antes de atacá-los, deixando o filho adulto em estado crítico na unidade de terapia intensiva de um hospital com várias feridas no estômago, segundo relatos da mídia .

Os moradores da área disseram à imprensa egípcia que um não-cristão com reputação criminosa agrediu os membros da família com uma adaga por volta das 22h30, depois de discutir com eles enquanto estavam sentados em frente a sua casa na vila de Nassiriya, perto de Beni Mazar, a 219 quilômetros ao sul do Cairo, na margem oeste do rio Nilo.

Os moradores disseram que a discussão começou quando o agressor, identificado apenas como Ali M., passou pelos membros da família quando estavam sentados em frente à casa e começou a gritar para que voltassem, dizendo que nenhum cristão era permitido sair. Uma publicação no Facebook identificou o agressor como um muçulmano chamado Ali Eid Morsi; a postagem foi removida.

Quando o filho adulto, identificado como Shinoda Aziz, se opôs e se levantou contra o agressor, o suspeito recuperou uma adaga de sua casa, voltou e o atacou, segundo os moradores da área. Quando sua mãe começou a gritar, o agressor começou a esfaqueá-la na cabeça e também atacou o filho mais novo, cortando seu rosto, disseram eles.

O Al Mowatna News informou que o apresentador de notícias Osama Eid confirmou o ataque. A agência de notícias acrescentou que o agressor é conhecido por envolvimento com drogas e prostituição.

A família teria dito à polícia que o agressor pretendia matá-los. As forças de segurança em Minya prenderam o suspeito e estão interrogando testemunhas.

Uma fonte da área disse ao Morning Star News por telefone que a vila é tranquila. Dizia-se que a área era de maioria cristã copta no país, que é cerca de 90% muçulmano. O Egito ficou em 16º lugar na lista de países em que é mais difícil ser cristão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui