China comemora de 200 milhões de Bíblias, apesar da perseguição

Das 200 milhões de Bíblias impressas, mais de 85 milhões distribuídas para as igrejas na China

China comemora de 200 milhões de Bíblias, apesar da perseguição
China comemora de 200 milhões de Bíblias, apesar da perseguição (Foto: United Bible Societies)

Apesar da perseguição, a organização bíblica Amity Printing Company (APC) comemora a produção de 200 milhões de Bíblias na China, muitos especialistas preveem que a China se tornará a nação mais cristã do mundo até 2030.

A taxa de produção da empresa aumentou exponencialmente. Em 2012, eles alcançaram 100 milhões após cerca de 25 anos de impressão. Apenas sete anos depois, e eles haviam dobrado esse número.

“Das 200 milhões de Bíblias impressas, mais de 85 milhões de cópias foram impressas e distribuídas para as igrejas na China, incluindo Bíblias em Braille e Bíblias em 11 línguas minoritárias étnicas”, disse Qiu Zhonghui, Presidente do Conselho da Amity Foundation.

“Desde 2003, a APC começou a aumentar a impressão da Bíblia para distribuição no exterior e, até o momento, já imprimiu 115 milhões de cópias da Bíblia em mais de 140 países e territórios.”

Os líderes da igreja se reuniram com a equipe das Sociedades Bíblicas Unidas (UBS, sigla em inglês) em 11 de novembro para celebrar o marco notável. Funcionários do governo chinês também teriam participado do evento, apesar da brutal opressão do Partido Comunista da China (PCC) por parte dos fiéis em todo o país.

É importante notar que a ACP distribui suas Bíblias através da rede oficial de igrejas “Three-Self”, comandada pelo estado. Isso pode explicar porque as autoridades chinesas estavam presentes.

Alberto Rossa, um missionário claretiano, postou um vídeo de dentro do evento formal. Em uma imagem estática, Rossa pode ser visto em pé na frente do palco principal. Atrás dele, estampado na parede, uma linha de texto pode ser vista claramente.

“Oficina chinesa de Bíblia e sinicização cristã”, diz o artigo.

Por si só, é uma indicação clara de que esse foi um evento muito exigido pelo Estado “Sinicização cristã” refere-se à campanha do governo chinês para des-ocidentalizar o cristianismo e, em essência, garantir que sua influência não comprometa o poder e a autoridade finais do Presidente Xi Jinping.

Muitos anunciaram o evento como um sucesso. Melissa Lipsett, COO da Bible Society Australia, descreveu a ocasião para o Eternity News, como uma maravilhosa celebração da parceria entre a Amity Foundation, a igreja na China e a igreja ao redor do mundo.

“Este marco incrível representa a Bíblia sendo colocada nas mãos e no coração de milhões de cristãos chineses”, acrescentou. Uma façanha notável ‘Somente Deus!” Disse ele.

Perseguição

Cristãos em toda a China foram sujeitos a perseguição e opressão brutal nos últimos meses, com prisões em massa e a demolição forçada de suas igrejas.

Funcionários do governo comunista chinês recentemente começaram a interrogar os crentes por comprarem livros baseados na fé online.

Os relatórios indicam que os cristãos estão sendo convidados para “sessões de chá”, um termo coloquial para interrogatórios policiais, depois de tentar comprar livros cristãos por meio do aplicativo de mensagens instantâneas “WeChat” e de uma loja on-line associada chamada “Livraria do Trigo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui