Igrejas na China são ordenadas trocar os Dez Mandamentos

As citações agora contêm ensinamentos do partido comunista do governo chinês

Igrejas cristãs na China são ordenadas trocar os Dez Mandamentos
Igrejas cristãs na China são ordenadas trocar os Dez Mandamentos (Imagem: Getty images)

Igrejas cristãs estatais na China controladas pelo governo, foram ordenadas a trocar as citações dos Dez Mandamentos, e substituí-los por mensagens do governo comunista de Xi Jinping.

Os líderes das igrejas Three-Self, em português – Três-Auto, patrocinadas pelo estado foram ameaçados de fechamento se não cumprirem as ordens, de acordo com relatórios locais.

Em vez de pregar a doutrina cristã, as citações agora contêm ensinamentos do partido comunista do governo chinês, como: ‘Proteja-se contra a infiltração da ideologia ocidental e conscientemente resista à influência do pensamento extremista’

A ação foi denunciada pela Bitter Winter, uma revista que documenta a liberdade religiosa e os direitos humanos na China. Uma fonte anônima disse à revista que o partido comunista está tentando se tornar uma figura semelhante a Deus.

Ao mesmo tempo, o partido comunista lançou uma campanha de repressão às chamadas ‘igrejas domésticas’ que estão fora do controle do Estado. Em algumas igrejas do país, os Dez Mandamentos também estão sendo substituídos por retratos de, Mao Zedong e Xi Jinping.

Eles disseram: ‘O primeiro passo do governo é proibir dísticos religiosos. Então desmonta as cruzes e começa a implementar os “quatro requisitos”, ordenando que a bandeira nacional e os “valores socialistas centrais” sejam colocados nas igrejas.

Câmeras de vigilância para monitorar os fiéis e atividades religiosas são então instaladas. O último passo é substituir os Dez Mandamentos pelos discursos de Xi Jinping. Enquanto isso, a ‘tecnologia avançada de vigilância’ também é empregada para reprimir a comunidade budista, segundo o relatório.

O governo prometeu em 2013, a “sinicização” da religião na China, alinhando-a à ideologia comunista do país. Assim os mandamentos bíblicos dados a Moisés, que incluem “não terás outros deuses diante de Mim” e “não fará para si uma imagem esculpida”, foram substituídos pelos discursos de Xi Jinping.

Em seu relatório no início deste ano, a Comissão de Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos, alertou que a campanha era uma tentativa não apenas de diminuir e apagar a prática independente da religião, como a herança cultural e linguística das comunidades religiosas e étnicas.

Além dos cristãos, o relatório diz que o governo persegue budistas tibetanos e muçulmanos uigur. Estima-se que 800.000 muçulmanos e cristãos, foram presos e jogados em campos de concentração, enquanto o partido enviou recrutas para espionar as comunidades locais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui