É o que Deus está fazendo, diz capelão após batizar mais de mil soldados

“É o que Deus está fazendo”, diz capelão após batizar mais de mil soldados
“É o que Deus está fazendo”, diz capelão após batizar mais de mil soldados

Depois de batizar mais de mil soldados do exército americano em dois anos, o capelão Chris Rice, diz que é tudo sobre Deus, “É o que Deus está fazendo”, no exército dos (EUA) em Fort Jackson.

Desde 24 de fevereiro, Rice batizou 519 soldados que passaram pela base em Columbia, SC, para treinamento básico. Seu caminho para servir membros dos Serviços Armados dos Estados Unidos, no entanto, passou por algumas reviravoltas.

“Todo mundo na minha família, depois do ensino médio, serviu nas forças armadas desde a Guerra Civil”, disse Rice.

Quando Rice sentiu o seu chamado ao ministério, abandonou uma carreira militar para desgosto de sua família e frequentou uma pequena faculdade batista em Lexington, Ky.

Depois de frequentar o Seminário Teológico Batista do Sul em Louisville, para seus estudos de pós-graduação, Rice começou a servir em igrejas locais atuando em diversos ministérios. Por 11 anos, ele ministrou em diferentes congregações na América do Norte.

Se o primeiro passo de fé de Rice relacionado à sua vocação estava entrando no ministério, o segundo veio quando ele sentiu Deus levando-o a renunciar à sua igreja em antecipação ao que Deus faria.

“Obedecemos à liderança de Deus sem saber realmente o que estava por vir”, lembrou Rice. “Logo depois disso, recebi e-mails separados informando sobre mim e minha família. Eles disseram: ‘Ei, se você deixar a igreja local, pensamos que você seria um grande capelão militar.'”

Os dois que enviaram um e-mail não tinham ideia de que ele não fazia mais parte de uma igreja local. Enquanto seus e-mails inesperados plantaram uma semente, Rice ainda precisava ser convincente. A capelania militar sempre aparecia nas buscas de emprego, e o tempo gasto em oração junto com as conversas com a esposa apontava muito claramente para a oportunidade.

O capelão batista do sul, Chris Rice, batiza um soldado do Exército durante uma cerimônia especial de batismo em Fort Jackson,
O capelão batista do sul, Chris Rice, batiza um soldado do Exército durante uma cerimônia especial de batismo em Fort Jackson

De repente, Rice se viu encarando a rota militar que sua família esperava que ele voltasse ao ensino médio – desta vez como capelão do Exército.

Os capelães batistas do sul são enviados por suas igrejas, e o Conselho de Missões da América do Norte (NAMB) serve como entidade endossadora em nome dos batistas do sul.

Quando Rice se inscreveu, ele ingressou em uma rede de mais de 3.700 capelães que servem nos serviços governamentais públicos, e organizações privadas dos Estados Unidos.

Agora, as manhãs de Rice em Fort Jackson começam às 5 da manhã para que ele possa participar de treinamento físico e participar com os soldados às 5:30. Ele visita os vários eventos de treinamento para poder ser uma fonte de encorajamento para homens e mulheres à medida que eles passam pelo treinamento básico.

“O capelão Chris Rice representa o coração e a alma de todos os batistas do sul com sua devoção amorosa a Jesus Cristo, seu apoio orante a nossas tropas e suas famílias e seu desejo apaixonado de levar o Evangelho a todo o mundo”, disse Doug Carver, capelão aposentado e general do Exército dos EUA.

Sua chegada à base da Carolina do Sul ocorreu após missões anteriores em Fort Stewart, na Geórgia, e no exterior, na Alemanha. Rice foi implantado várias vezes em locais no Iraque, Afeganistão e Turquia.

Quando ele chegou a Fort Jackson, os superiores de Rice tinham uma grande pergunta para ele. Fui questionado sobre a contratação do serviço protestante de treinamento básico, disse Rice. Orei, conversei com minha esposa e foi algo que decidimos que faríamos.

No primeiro domingo, eles tinham pouco menos de 500 soldados, mas Rice sabia que isso estava muito abaixo do número que eles poderiam alcançar com o serviço.

“Realmente queríamos mudar a dinâmica do serviço para melhor atender nosso público, onde eles estão na vida e o que estão experimentando atualmente e o que estão passando”, disse Rice.

Agora, o número de participantes mais que dobrou, com 1.100 chegando recentemente ao serviço. “Estou constantemente desafiando-os a fazer da maturidade espiritual uma prioridade tanto quanto o desenvolvimento físico, emocional e mental”, disse Rice.

Vários estagiários perguntam se Deus pode ou não amá-los ou perdoá-los por causa das coisas que fizeram, e ele os convida para o serviço da capela e os aconselham depois.

Ele pergunta se eles estavam onde precisam estar com Deus e apresenta o Evangelho. Se eles acreditam ou nunca foram batizados antes, Rice oferece a chance de seguir seu compromisso através do batismo. Ele analisa todas as perguntas, e esclarece o que é o batismo, e o que simboliza.

“Aqueles que querem seguir em frente marcham e seguem em frente com a cerimônia de batismo”, disse Rice. “Depois disso, eles assinam e recebem certificados de batismo.”

Depois de batizar mais de 500 no ano anterior, Rice 519 batizou desde fevereiro para ajudar a destacar o que ele vê como um movimento espiritual que ocorre na vida dos jovens nas forças armadas.

“Atualmente, vários de nossos capelães militares Batista do Sul aprovados estão vendo um despertar espiritual de proporções históricas nos Serviços Armados, com um número recorde de profissões de fé, batismos, participação em capelas e programas para fazer discípulos”, relatou Carver.

Rice direciona todo o crédito a Deus.

“É tudo sobre Deus. É o que Deus está fazendo. Ele está fazendo um trabalho”, disse Rice. “Deus não está morto. Ele está continuamente se movendo nos corações e mentes das pessoas, e Ele usa as pessoas para promover Sua glória e Seu Reino.”

*Cortesia do Baptist Press

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui