Casal passa 105 dias na UTI com a filha falando sobre fé com outros pais

Deus estava conosco em todos os lugares que íamos, diz a mãe

Casal passa 105 dias na UTI com a filha falando sobre fé com outros pais
Casal passa 105 dias na UTI com a filha falando sobre fé com outros pais

O casal Holly e Aren Vreugdenhil, após passar 105 dias com filha na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN), são gratos por compartilhar o amor de Deus e experiência de fé e milagre, com outros pais dentro do Hospital.

A pequena Elliott, é quinto filho nascido na família Vreugdenhil, nasceu com 33 semanas com algumas complicações graves de saúde.

Com duas semanas de idade, os médicos encontraram um problema no coração de Elliott, e os Vreugdenhils foram enviados para Edmonton para cirurgia.

“Demorou um pouco para ela se recuperar disso. Pensamos: ‘Ela estava arrumada. Vamos voltar para casa em breve.'” Infelizmente, esse não foi o caso. Elliott e sua mãe Holly, ficaram 105 na UTI neonatal do hospital de Edmonton.

“Ela demorou muito tempo para se recuperar da cirurgia e teve outros problemas cardíacos”, diz Holly.

Aren Vreugdenhil com a filha Elliott no hospital
Aren Vreugdenhil com a filha Elliott no hospital

Meses depois, Elliott ainda internada no hospital passou por mais cirurgias e recebeu oxigênio em período integral. Aos 15 meses de idade, seus pais a descreviam como cinza, doente e cansada.

Em abril, Elliott foi submetida a duas cirurgias de coração aberto no período de uma semana.

Depois de tantas cirurgias e estadias tão longas no hospital com a filha, Aren e Holly poderiam ter optado por perder a esperança, mas Holly diz: “Deus estava conosco em todos os lugares que íamos”.

Em um lugar que pode parecer desesperador como a UTIN, Holly diz que eles tiveram tantas chances de compartilhar sua fé em Deus com os pais que estavam lidando com situações semelhantes de cortar o coração.

Agora, os Vreugdenhils dizem, desde as cirurgias de Elliott em abril: “Temos uma filha que nunca tivemos antes porque agora é rosa e cheia de vida – e energia e atitude também”.

Em meio à alegria de ter uma filha inteira e saudável, voltar para Carman não era tão fácil quanto eles esperavam. “Seus irmãos não sabiam quem ela era”, diz Holly.

Foi realmente difícil para mim. Isso não é algo que se fala muito da UTIN, como mãe. Mas você passa de um mundo organizado e muito estéril do hospital para casa com crianças, refeições e animais de estimação e clima.

Na verdade, foi um ajuste muito difícil voltar para casa agora, ter que ser mãe em tempo integral novamente e se recuperar do trauma de ficar na UTIN por tanto tempo com ela”, disse ela.

O conselho dos Vreugdenhils para os pais que podem ter que lidar com uma situação semelhante? Holly diz que você não deve ter medo de chegar.

“Pode ser um lugar muito solitário, se você deixar. Mas se você chegar, há muitas pessoas dispostas e capazes de ajudar e se sentar com você”, conclui Holly.

*Cortesia da CHVN 95.1 FM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui