Ateus processam governo Bolsonaro após viagem religiosa ao Vaticano

A delegação brasileira foi chefiada pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão

Ateus processam governo Bolsonaro após viagem religiosa ao Vaticano
Ateus processam governo Bolsonaro após viagem religiosa ao Vaticano

Integrantes do “governo Bolsonaro” estão sendo processados pela Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea), junto com o Senado e Câmara dos Deputados por violação ao princípio da laicidade do Estado.

A associação dos ateus do Brasil, entrou com processo na Justiça Federal da 1ª Região, a entidade reivindica que Jair Bolsonaro, Davi Alcolumbre presidente do senado e Rodrigo Maia da Câmara dos deputados, devolvam aos cofres públicos o dinheiro que foi gastado no tour religioso para a cerimônia de canonização de Irmã Dulce no Vaticano.

Segundo informações da Folha de São Paulo, a cerimônia aconteceu no dia 13 deste mês, quando a freira se tornou a mais nova santa da Igreja Católica, passando se chamar, Santa Dulce dos Pobres.

A delegação brasileira foi chefiada pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Além dos já citados, outros 20 parlamentares das duas Casas fizeram parte do grupo, que foi à bordo de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Bolsonaro não participou.

Para, entidade do ativismo ateu do Brasil, houve uma “ilegalidade e inconstitucionalidade na utilização de recursos públicos” já que o destino e propósito da viagem tinha um cunho religioso. “Ao subvencionar a viagem de autoridades brasileiras para uma cerimônia de caráter estritamente religioso.

Ainda de acordo com as reivindicações da entidade o “Estado e seus representantes feriram a laicidade do Estado brasileiro e consequentemente o patrimônio público e os interesses difusos da coletividade”, argumentam a entidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui