Membro de gangue no Japão aceita Jesus e se torna pastor

Membro de gangue no Japão aceita Jesus e se torna pastor
Membro de gangue no Japão aceita Jesus e se torna pastor

A vida de um membro de gangue no Japão, foi totalmente transformada após aceita Jesus e se tornar pastor graças ao evangelho e pela fidelidade dos missionários da Primeira Igreja Batista da cidade Troy no estado americano de Missouri, no Estados Uniddos.

Nascido nos (EUA) e filho de japoneses, Jonathan Hayashi, contou que, quando tinha 15 anos, já havia sido preso, julgado e colocado atrás das grades. Naquela época, ele odiava os cristãos, odiava seu pai e odiava a Deus.

Mas Deus já estava trabalhando para levar a salvação a Hayashi e toda sua família muito antes disso, através dos missionários batistas do sul.

Nos anos 80, quando a mãe de Hayashi, Yukiko estudou inglês em uma faculdade em Sendai, no Japão, ela conheceu os missionários do IMB Tony e Marsha Woods, que estavam usando a Bíblia para ajudar os alunos a melhorar o inglês. Logo, ela voltou à fé e começou uma caminhada ao longo da vida com o Senhor.

Traficante se converte na cadeia, se torna pastor

Então ela conheceu o pai de Hayashi, Takakazu. Embora ele não fosse crente, ela casou-se com o conselho de alguém de que seria uma maneira de conquistá-lo à fé. Yukiko tentou ensinar seus filhos sobre o Senhor e levá-los à igreja, mas seu marido, um ateu firme, a repreendeu por fazer isso.

Seu pai, que se tornou cristão anos depois, “realmente pensava que éramos um bando de tolos acreditando em um conto de fadas. Crescendo, eu tinha medo dele”, disse Hayashi sobre os abusos sofridos por sua mãe e seus filhos.

“Era insuportável”, disse ele. “O único lugar em que eu podia fugir da realidade era a música. Sempre que estava com medo, magoado, bravo ou zangado, corria para o piano. Isso me dava uma paz temporária, mas não durava muito.”

Problemas na escola só aumentavam a dor e a raiva de Hayashi. Desde que ele nasceu no Kentucky e voltou para o Japão quando tinha 3 anos, ele lutou com o japonês. Seus colegas zombaram dele não apenas por isso, mas porque ele era visto como cristão.

E, à medida em que ele crescia, o abuso tornou-se físico. Em uma ocasião, um grupo de adolescentes o deixou machucado e sangrando no banheiro da escola depois de bater nele com uma espada de madeira.

Quando ele tinha 12 anos, Hayashi começou a beber, fumar e usar drogas. Ele também se juntou a uma das gangues mais violentas da região. E, bravo com Deus, ele deu as costas à fé de sua mãe.

“Eu amei as coisas que Deus odiava e odiava as coisas que Deus amava”, disse ele. “Mas no fundo do meu coração, eu sabia que tinha que haver mais na vida do que sexo, poder e dinheiro”.

Com o tempo, ele foi expulso da escola e fugiu de casa. Aos 15 anos, ele morava nas ruas. Mas então ele foi preso por roubar uma motocicleta.

O “plano maior” de Deus

Naquele momento, sentado na traseira de um carro da polícia, ele sentiu como se Deus “batesse” em seu coração, dizendo a ele: “Jonathan, eu tenho um plano maior para você – não é isso que você deveria ser estar.”

A mãe de Hayashi, determinada a ajudar o filho, o enviou a um lar missionário em Tóquio, onde ele conseguiu romper os laços com o passado.

Em Tóquio, ele conheceu o pastor Kawamata, que lhe mostrou amor genuíno e orou por ele. Movido por esse amor, Hayashi perguntou ao pastor Kawamata por que ele era tão diferente dos outros cristãos que conhecia. Em resposta, o pastor compartilhou o Evangelho, que penetrou em seu coração.

“Comecei a chorar pela primeira vez na minha vida”, disse Hayashi. “Então, naquela noite, aos 16 anos, decidi confessar Jesus Cristo como Senhor, para a glória de Deus Pai.”

A partir desse momento, ele começou a mudar – mesmo em sua atitude em relação ao pai. Quando voltou para casa, pediu perdão ao pai. Eles disseram que se amavam e se abraçavam. “Não só fui capaz de perdoar meu pai”, disse ele, “mas também fui capaz de amá-lo do fundo do meu coração”.

Hayashi também teve uma segunda chance na escola. Sua mãe o matriculou em uma escola missionária na Malásia para terminar o ensino médio. Depois, crescendo em seu desejo de servir ao Senhor, mudou-se para os Estados Unidos, onde obteve o bacharelado e o mestrado no Moody Bible Institute.

Lá, ele também conheceu sua esposa Kennedi, que estudou o ministério infantil em Moody e atualmente atua como diretora infantil de meio período em sua igreja. Ele e Kennedi têm duas filhas jovens, Kaede e Anna, e também estão adotando um menino na Bulgária.

Ele é o autor de um livro com tema de discipulado, “Radicais comuns”, e neste outono completará seu doutorado em educação no Southern Baptist Theological Seminary.

Olhando para trás, Hayashi expressa gratidão pela fidelidade de sua mãe a Cristo. “Louvo a Deus por minha mãe”, disse ele. “Ela era uma guerreira de oração.”

Ela costumava acordar às 4 da manhã secretamente para estudar as Escrituras e orar por sua família. E em resposta às suas orações, Hayashi não é apenas um cristão fiel hoje, mas também seus irmãos. Além disso, seu pai também acreditou em Cristo enquanto lia o evangelho de João cinco anos atrás.

Hayashi também agradece a Deus pelos missionários batistas do sul que viajaram pelo mundo para o Japão e levaram sua mãe a Cristo.

Hoje, Hayashi atua como pastor de música e adoração na Primeira Igreja Batista em Troy, e secretário geral da Irmandade Nacional Asiático-Americana da Convenção Batista do Sul; colunista regular do jornal The Pathway da Convenção Batista do Missouri e membro de sua Apologetics Network.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui