Garota surda de 12 anos é espancada e expulsa de casa por ir à igreja

"Quase toda vez que eu ia à igreja, meu irmão e meu pai me batiam"

Garota surda de 12 anos é espancada e expulsa de casa por ir à igreja
Garota surda de 12 anos é espancada e expulsa de casa por ir à igreja

Uma garota surda de 12 anos na Índia conta como foi espancada por seu pai e irmão para negar a Cristo e deixar de ir à igreja, antes de ser expulsa da casa da família que são hindus.

A menina chamada apenas como Saree, relatou que sua família a levou a hospitais, templos hindus e até pessoas que praticavam bruxaria para encontrar uma cura para sua surdez, tudo sem sucesso.

Ela tinha 11 anos quando foi convencida a ir à igreja pela tia cristã, que lhe disse que sua família hindu “não acreditava no verdadeiro Deus”. Quando ela foi à igreja, experimentou um milagre inesperado.

“As pessoas estavam cantando canções, e o pregador ensinou com a Palavra de Deus”, disse ela.

“Ouvi um pouco de som, para entender um pouco do que estava sendo dito e cantado. As músicas me fizeram feliz”. A certa altura, ela conta que foi chamada para a frente e recebeu uma oração.

“Enquanto eles oravam, eu podia ouvir sons. Lentamente, os sons se tornaram cada vez mais altos. Também senti algo vindo a mim. Chegou cada vez mais perto. Era a presença de Deus”, disse ela.

“Então os sons ficaram realmente claros. Eu pude ouvir tudo. Fiquei incrivelmente feliz.”

Mas a mãe de Saree não estava feliz e disse que a família não iria à igreja de sua tia, apesar do que havia acontecido. Ela também alertou Saree para parar de ir, dizendo que a família seria rejeitada pelos outros moradores.

“Não poderemos mais comprar comida ou bebida e ninguém vai falar conosco”, disse a mãe.

Saree disse que, embora continuasse frequentando a igreja em segredo, seu irmão logo descobriu e ela foi espancada. Ele e meu pai me bateram e me arrastaram para dentro de casa, disse Saree.

Uma vez, eu estava carregando uma Bíblia. Ele a pegou, jogou-a na lama e me bateu com um graveto. Mais tarde, coletei a Bíblia, limpei-a e entreguei a outro crente. Ele a guardou para mim.

“Quase toda vez que eu ia à igreja, meu irmão e meu pai me batiam”, continuou ela.

Cerca de três meses atrás, eles estavam fartos de mim. Meu irmão e meu pai gritaram: ‘Se você continuar indo à igreja, nós o puniremos!’ Eles bateram e me chutaram muito. Então eles me deram algumas roupas e me empurraram para fora da porta. Meu pai disse: ‘Você não é mais nossa filha’.

Ela foi à casa de sua tia, mas sua mãe a encontrou e a trouxe de volta, apenas para ser espancada novamente por seu irmão, que aparentemente lhe disse para “deixar Jesus Cristo” enquanto ele a batia com uma bengala e sapatos.

Recusou-se e fugiu novamente para a casa da tia, onde continua agora, apesar de sentir falta da família e não poder ir à escola.

Por causa da minha perseguição, não posso ir à escola. Também sinto muita falta da minha família. Amo minha família, mas eles não me aceitam”, disse ela.

Eu os vi duas vezes depois que eles me expulsaram. Fui vê-los, mas meu pai não fala comigo. Minha mãe fala um pouco comigo, mas apenas minha irmã mais velha fala bem. Eu não veja meu irmão.

Ela disse ao Open Doors que, quando se sente triste, pensa na “comunhão” que encontrou na igreja.

Uma irmã crente me disse: ‘Não deixe Jesus Cristo. Estamos aqui.’ Ela me incentivou da Palavra de Deus. Isso me fortaleceu, disse ela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui