Eduardo Bolsonaro irá processar ÉPOCA por reportagem forjada

Eduardo Bolsonaro irá processar ÉPOCA por reportagem forjada
Eduardo Bolsonaro irá processar ÉPOCA por reportagem forjada

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), diz que irá porcessar a revista ÉPOCA por ter publicado uma reportagem nessa sexta-feira (13) que segundo ele, foi forjada para prejudicar sua esposa, a psicóloga Heloísa Bolsonaro.

Segundo Eduardo Bolsonaro, sua esposa foi vítima de uma cilada feita pela revista ÉPOCA, na tentativa em extrair informações sobre como sua esposa aconselha homossexuais em suas consultas, no intuito de prejudicar a profissional, à então nora do presidente.

O assunto também chegou ao conhecimento do presidente, Jair Bolsonaro, que se encontra hospitalizado se recuperando de duas cirugias, no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, que não gostou nada da investida da revista contra sua família, que twittou para seus seguidores, o que causou uma grande polêmica nas redes sociais.

Em postagem intitulada “Imprensa sem limites”, o presidente afirma que: “sem se identificar, o jornalista João Paulo Saconi, Época/Globo, se passou por gay e fez sessões com minha nora Heloísa (psicóloga, esposa do Eduardo) e gravou tudo. Assuntos sugeridos por ele nas sessões, como religião e política, tomaram grande parte das sessões. A conversa que deveria ficar apenas entre os dois, por questão de ética, agora vem a público”.

De acordo com portal Pleno.news, será acionados judicialmente o repórter João Paulo Saconi, que produziu a reportagem, além do editor-chefe da revista, Plínio Fraga e da diretora de redação, Daniella Pinheiro. Ele criticou duramente os responsáveis em sua postagem na manhã desta segunda (16).

– Da próxima vez que a Época falar besteira tem que lembrar “ah, aquela revista que fez covardia com a nora do Bolsonaro”… Credibilidade zero – escreveu.

A revista por sua vez se defendeu das acusações e chegou a emitir uma nota afirmando seu compromisso com a verdade e ética jornalítica, segue:

ÉPOCA reafirma o respeito à ética e a retidão dos procedimentos jornalísticos que sempre pautaram as publicações da revista. A reportagem em questão não recorreu a subterfúgios ou mentiras para relatar de maneira objetiva — a bem do interesse do leitor — um serviço oferecido publicamente, com cobrança de taxas divulgadas nas redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui