Cristão é libertado após ficar 10 anos preso injustamente

"Eu enfrentei muitas dificuldades na prisão - agradeço a Deus por essa liberdade"

Cristão é libertado após ficar 10 anos preso injustamente
Cristão é libertado após ficar 10 anos preso injustamente

O cristão Bijaya Kumar Sanaseth, foi libertado após ficar preso por 10 anos acusado de um assassianto na Índia que ele não cometeu, agora em liberdade ele agradeceu a Deus, mas lamenta os anos perdidos na prisão separado de sua família.

Eu não vi meus filhos crescerem, disse Sanaseth, o segundo cristão a ser libertado sob fiança dos sete condenados por matar um líder extremista hindu, disse disse ele Morning Morning News entre soluços.

“Meus seis filhos eram muito jovens, com meu filho mais novo, uma menina, com 1 ano de idade e meu filho mais velho, com 9 anos. Hoje, o mais novo tem 12 anos e o mais velho, 20. Ninguém pode me devolver os anos que perdi.”

O Morning Star News relata que Sanaseth e os outros seis cristãos foram condenados em setembro de 2013 pelo assassinato de Swami Laxmanananda Saraswati, cuja morte em 23 de agosto de 2008 provocou ataques anti-cristãos que mataram 120 pessoas, destruíram quase 6.000 casas e deslocaram 55.000 cristãos.

Agora com 47 anos, Sanaseth foi libertado sob fiança em 27 de julho, dois meses e seis dias após o companheiro de prisão Gornath Chalanseth ter sido socorrido em 21 de maio.

“Eu enfrentei muitas dificuldades na prisão – agradeço a Deus por essa liberdade”, disse Sanaseth. “Confiei que Deus me traria um dia.”

+ Cristão é libertado da prisão em Marrocos

Como o Supremo Tribunal emitiu a liberação sob fiança, ele não precisa retornar, a menos que o próprio tribunal superior o ordene.

Depois de 30 a 40 agressores com armas automáticas e revólveres fabricados localmente atacarem Saraswati no eremitério em Jalespeta, no estado de Orissa, Sanaseth tornou-se suspeito depois de ajudar a proteger as instituições cristãs da reação resultante, disse ele: de acordo com o Morning Star News.

Uma escola do convento perto de sua casa estava sendo atacada, e os líderes católicos o ligaram para perguntar se ele poderia intervir por causa de sua boa reputação na área, disse Sanaseth ao Morning Star News.

Eu estava no portão do convento, mesmo quando a multidão se aproximava, disse ele em Oriya através de um tradutor. “Eles pararam quando me viram porque todos me conheciam. Tirando vantagem disso, o pai [do convento] fez as crianças voltarem para casa em segurança enquanto eu chamava a polícia.

Com a ajuda de Deus, pude salvar muitas pessoas, e a violência em nossa região foi consideravelmente menor por causa da intervenção. Muitos cristãos foram salvos, casas, albergues, bem como edifícios de igrejas. Eu também fazia parte do comitê de paz que restaurou a ordem após a violência.

Como ele foi capaz de salvar tantas pessoas, os extremistas hindus mais tarde revidaram listando seu nome entre os suspeitos de assassinato, disse ele.

“Paguei um custo enorme por isso”, disse Sanaseth ao Morning Star News. “Minha mãe morreu depois que eu fui preso. A família não podia cuidar dela, pois não havia dinheiro comigo estando na prisão.

Monring Star News relatou que, na noite de 27 de julho, a família de Sanaseth o recebeu quando ele saiu da prisão, depois que a Suprema Corte da Índia lhe concedeu fiança em um pedido movido pela Arquidiocese de Cuttack-Bhubaneswar e pela Rede de Direitos Humanos.

Anteriormente, Sanaseth trabalhava como fazendeiro e também como contratado que ajudava a construir estradas e edifícios. Com uma educação na sétima série quando foi preso, ele foi capaz de estudar o suficiente na prisão para concluir a 10ª série, disse ele.

“Mas o maior ganho foi em minha fé”, disse Sanaseth. “Eu era um cristão nominal, conhecendo Jesus, mas não o conhecia. Na prisão, conheci o Senhor de perto. Li a Bíblia completa cinco vezes e comecei a entender a importância da Palavra de Deus. ”

Nas quatro cadeias em que ele foi encarcerado, ele falou sobre Cristo o suficiente para que oito pessoas depositassem sua fé nEle como Senhor e Salvador, disse ele.

“Eu tive o privilégio de liderar a igreja na prisão e agradecer a Deus por isso”, disse ele. “Peço aos leitores da minha história através do Morning Star News que orem pelos cinco inocentes na prisão, para que eles também recebam fiança e se reencontrem com suas famílias.”

Akkara esteve envolvido em manter viva a questão da justiça para os “sete inocentes” na esfera pública por meio de seus livros e campanha de petição on-line www.release7innocents.com .

“A oração funciona”, disse Akkara. “Quando Gornath Chalanseth saiu da prisão em 21 de maio, a primeira coisa que ele disse depois de me abraçar foi que eu deveria encontrar Sanaseth dentro da prisão. Desde aquele dia, seu primo estava em constante contato comigo.

Estou feliz que Deus tenha ouvido o clamor dos necessitados, os inocentes foram libertados depois de 10 anos, disse o Rev Parichha ao Morning Star News.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui