Bolsonaro diz que fará justiça para pastores na reforma tributária

O presidente afirmou que as igrejas têm imunidade tributária no Brasil.

Bolsonaro diz que fará justiça para pastores na reforma tributária
Bolsonaro diz que fará justiça para pastores na reforma tributária

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com parlamentares da bancada evangélica, nesta quarta-feira 7, e afirmou que fará justiça para pastores na reforma tributária, não irá taxar igrejas.

No encontro com figuras marcada da política evangélica no Palácio da Alvorada, o presidente afirmou que as igrejas têm imunidade tributária no Brasil. “Se chegarmos à conclusão que tem amparo legal para você acabar com alguma taxa, então acaba”, disse Bolsonaro.

Facilitando a vida dos pastores

Questionado se o presidente tem a intenção de “facilitar a vida dos pastores” da mesma forma que vem dizendo que fará com empregadores, Bolsonaro pontuou que sua meta é “fazer justiça com os pastores, com os padres, nessa questão tributária”.

No encontro, Bolsonaro esteve acompanhado do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra. Ao fim da reunião, Sóstenes declarou que as igrejas, entidades filantrópicas e demais templos religiosos têm sido alvo de “multas excessivas” aplicadas por fiscais da Receita por ações que supostamente representariam lucro das instituições.

O deputado Sóstenes Cavalcante, que é pastor na Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) citou como exemplo doações de igrejas para entidades filantrópicas, que também têm sido identificada pela Fisco como lucro e, portanto, terminam tributadas:

“Hoje estão tratando instituição religiosa como se fosse empresa de lucro real. Tem que simplificar a declaração (à Receita) e não ser passível de multa porque é instituição sem fim lucrativo”, argumentou.

De acordo com informações do Gospel +, o deputado também citou os casos de pastores que usam jatos particulares para viajar pelo Brasil comandando as “ações sociais” das igrejas.

Na visão de Sóstenes, houve casos em que a aeronave foi considerada pela Receita como uma representação de lucro: “Algumas instituições são nacionais e, por conta disso, o pastor tem a necessidade de uma aeronave para serviço, para prestar atendimento”, justificou.

O pasrtor Silas Câmara, líder da frente parlamentar evangélica declarou à imprensa que Bolsonaro participou do almoço com o propósito de “agradecer” pelo apoio que recebeu na disputa eleitoral e “reafirmar os compromissos de campanha”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui