Rede Social Pinterest é acusada de censurar conteúdo cristão

Rede Social Pinterest é acusada de censurar conteúdo cristão
Rede Social Pinterest é acusada de censurar conteúdo cristão

A rede social Pinterest, é acusada de censurar versículos bíblicos e conteúdo cristão em seu mecanismo de busca, segundo o site investigativo Insider Veritas, houve hostilidade contra crenças cristãs.

De acordo com a denúncia de um funcionário da Rede Social Pinterest ao Veritas, a função de autocompletar por termos nas buscas, foi modificada, e suas informações internas mostram que houve hostilidade contra algumas crenças cristãs.

O Veritas recebeu e publicou documentos de uma fonte interna do Pinterest, que incluem código do produto, mensagens do Slack e políticas internas, revelam termos e sites que o Pinterest aparentemente censura.”

O Insider analisou a “Lista de Termos Sensíveis” do Pinterest e descobriu que termos relacionados a cristãos, como “Versículos da Bíblia” e “Páscoa Cristã”, foram identificados como “inseguros de marca”.

Em um trecho de uma entrevista em vídeo com o fundador da Veritas, James O’Keefe, postado no Twitter, o denunciante que trabalha para o Pinterest explica como a empresa censura o conteúdo cristão em seu programa de busca.

Veja também:
Cristãos no topo da lista de perseguição

Quando digito a palavra ‘cristão’ algo interessante acontece, está sendo impedido de completar automaticamente. Essa função de preenchimento automático pode ter sido modificada desde então, diz James O’Keefe do insider.

O Pinterest é uma empresa de mídia social de capital aberto sediada em São Francisco, Califórnia, com mais de 300 milhões de usuários mensais.

“Os documentos que obtivemos levantam questões sobre se essas empresas de tecnologia realmente operam ou não como plataformas neutras, ao contrário das editoras com agendas editoriais”, escreveu O’Keefe.

O site investigativo Insider Veritas, pediu ao Pinterest informações sobre essa história, um porta-voz da empresa fez a seguinte declaração.

Conteúdo religioso é permitido no Pinterest, e muitas pessoas usam nosso serviço para pesquisar e salvar Pins inspirados em suas crenças. Para proteger nossos usuários contra segmentações com base pessoais, como a religião, temos políticas em vigor para que os anúncios e recomendações não aparecem ao lado de certos termos, disse o porta-voz da empresa.

Questionado por que fez a denúncia, ele diz “Eu acho que quando as políticas públicas não combinam com a forma como as empresas de mídia social estão realmente implementando, as pessoas têm o direito de saber, as pessoas têm o direito a essa transparência.

A coisa é que uma pessoa pode fazer toda a diferença, uma pessoa pode trazer transparência para a grande tecnologia.

A Rede Social Pinterest, também proibiu o grupo pró-vida Live Action de postar no site. Uma declaração do Pinterest informou ao Live Action que sua página estava “permanentemente suspensa porque seu conteúdo ia contra nossas políticas de desinformação”.

*Com informações CBNnews.