Quanto mais os cristãos são perseguidos, maior é o descaso da mídia

Quanto mais os cristãos são perseguidos, maior é o descaso da mídia
Quanto mais os cristãos são perseguidos, maior é o descaso da mídia

Quanto mais os cristãos são perseguidos, maior é o descaso pela mídia, menos importância a mídia dá  em relação à perseguição cristã, contra os cristãos em todo o mundo, afirma o jornalista e escritor do Instituto Gatestone, Raymond Ibrahim.

De acordo com o Instituto Gatestone, a perseguição de cristãos por grupos extremistas e indivíduos continua aumentando, pois a perseguição se tornou mais sistemática do que aleatória.

Em seu último “Relatório de Liberdade Religiosa”, a Ajuda à Igreja que Sofre alertou que cerca de 300 milhões de cristãos em todo o mundo foram vítimas de violência, tornando o cristianismo a religião mais perseguida do mundo.

Raymond Ibrahim, do Instituto Gatestone, argumentou que essa estatística demonstra que é muito mais difícil para um cristão viver em um país muçulmano do que um muçulmano viver em um país ocidental.

Ele apontou para um estudo feito por (Voices in Europe) onde apontaram que as chances de ser morto como cristão, simplesmente por ser cristão, em um país muçulmano são incrivelmente altas.

Voz da Europa explicou que porque 300 milhões de cristãos foram submetidos à violência, isso significa que em um país de maioria muçulmana, 1 em 70.000 cristãos foram assassinados por suas crenças.

“Isso faz com que as chances de um cristão em um país de maioria muçulmana ser assassinado por um muçulmano – simplesmente por ser o que ele é – aproximadamente um em 70.000″, destacou o Europe Voice.

“O que significa que um cristão que vive em um país de maioria muçulmana tem 143 vezes mais chances de ser morto por um muçulmano por ser cristão do que um muçulmano é provável que seja morto por um não-muçulmano em um país ocidental por ser o que ele é. ”

Perseguição está ocorrendo em todo o mundo

Algumas semanas atrás, o arcebispo de Irbil falou sobre como a “correção política” nos países ocidentais os levaria a se tornar “cúmplices” na perseguição de cristãos em todo o mundo, mas especificamente no Oriente Médio.

Conforme relatado pela Faithwire News, Bashar Warda, o arcebispo, fez os comentários em Londres algumas semanas atrás, quando se referiu ao fracasso dos países ocidentais em tolerar o extremismo como o que é “um câncer”.

“Você vai continuar tolerando essa perseguição organizada e interminável contra nós?” Ele perguntou. “Quando a próxima onda de violência começar a nos atingir, alguém em seus campi fará demonstrações e mostrará sinais de que ‘somos todos cristãos?’”

“Cristianismo no Iraque”, disse ele, “uma das mais antigas igrejas, se não a mais antiga Igreja do mundo, está perigosamente perto da extinção. Aqueles de nós que permanecem devem estar prontos para enfrentar o martírio.

Seus comentários vieram em um momento em que o país do Iraque está tentando reconstruir de muitas maneiras diferentes. Cinco anos atrás, o ISIS desembarcou na região e começou a assumir lentamente o controle.

Não demorou muito tempo até que todo o país estivesse sob as garras do grupo extremista.

Veja também: ‘Fui queimado vivo por 3 vezes‘, diz cristão iraquiano após sobreviver milagrosamente

Os cristãos que viviam nas planícies de Nínive fugiram para salvar suas vidas, alguns chegando a outros países, onde viveriam por anos, outros não chegando a um destino.

Nos últimos 9 meses, os cristãos iraquianos foram lentamente voltando para suas casas nas planícies de Ninevah, muitos retornando à completa destruição.

Perseguição Cristã Alcançando a Escala de “Genocídio”

Os números sobre a perseguição cristã são tão surpreendentes, que estão se aproximando da definição internacional de “genocídio”.

Veja também: Perseguição Cristã Está Aproximando ‘Níveis de Genocídio’

Recentemente, um relatório , encomendado pelo ministro britânico das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, concluiu que a perseguição cristã está aumentando tão rapidamente que em breve será considerada um genocídio.

Conforme relatado anteriormente pela Faithwire News: “o estudo, supervisionado pelo bispo de Truro, reverendo de direito, Philip Mounstephen, descobriu que uma em cada três pessoas sofre perseguição religiosa, sendo os cristãos os mais oprimidos de todos”.

Veja também: Cristãos são o grupo religioso mais perseguido, diz relatório

“A verdade inconveniente”, diz o relatório, é “que a esmagadora maioria (80%) dos fieis religiosos perseguidos são cristãos”.

“A evidência mostra não apenas a expansão geográfica da perseguição anticristã, mas também sua crescente severidade”, escreveu o bispo, observando que a fé “corre o risco de desaparecer” se os outros cristãos ao redor do mundo não agirem.

Seja a proibição de cruzes na China ou a queima de igrejas na França ou os violentos ataques na Nigéria, o objetivo dos perseguidores é claro: apagar o nome de Jesus Cristo da face da Terra, conclui.

*informações CBN