Cristãos na índia são obrigados a fugir por recusarem a negar Cristo

Cristãos ameaçados de morte se eles não renunciam à sua fé cristã

Cristãos na índia são obrigados a fugir por recusarem a negar Cristo
Cristãos na índia são obrigados a fugir por recusarem a negar Cristo

Cristãos no estado oriental de Jharkhand na Índia, foram obrigados a fugir de suas casas após se recusarem a negar à fé em Cristo. Familías cristãs sofreram uma série de ataques por extremistas hindus.

Os cristãos na vila de Masiya Mahuwatoli tiveram suas bíblias queimadas, foram intimidados com ameaças de morte e excomunhão, pelos membros do Hindu Jagran Manch, se eles não renunciassem à sua fé cristã.

De acordo com a organização da liberdade religiosa Christian Solidarity Worldwide (CSW), 37 cristãos conseguiram escapar da área, depois que os moradores locais ameaçaram confiscar suas terras e cortá-las do abastecimento de comida e água se não mudassem de religião.

As famílias deslocadas, incluindo uma mulher grávida, buscaram refúgio nas aldeias vizinhas. Três outras famílias foram violentamente convertidas ao hinduísmo.

Veja também:

Cristãos sofrem ameaças de morte e passam fome na Índia

A violência contra as minorias religiosas na Índia aumentou significativamente nos últimos cinco anos depois que o Partido Bharatiya Janata (BJP) chegou ao poder pela primeira vez.

O partido BJP do Presidente Narendra Modi garantiu mais um mandato de cinco anos nas recentes eleições do país.

A CSW divulgou a seguinte declaração: “Estamos profundamente preocupados com o bem-estar das famílias cristãs que foram forçadas a se converter ou a correr por suas vidas.

A liberdade de escolher uma religião é um direito fundamental concedido a todos os cidadãos indianos.

Instamos as autoridades locais a processar os responsáveis ​​por esses crimes, a dar proteção total a essas famílias e a tomar as medidas necessárias para garantir que as famílias cristãs da aldeia de Masiya Mahuwatoli possam viver sem medo e intimidação. “

Um primeiro Relatório de Informação on-line já foi registrado e encaminhado para a polícia do distrito de Gumla. A delegacia da cidade de Bharno rejeitou uma queixa feita pelas famílias em 17 de junho, segundo o Premier UK.

Amigo De Cristo Noticias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui