fbpx
Siga-Nos

Brasil

Tiros da polícia contra monte de oração quase mata evangélico no RJ

Publicado

em

Tiros da polícia contra monte de oração quase mata evangélico no RJ

Tiros da polícia contra monte de oração quase mata evangélico no RJ

Um evangélico quase foi morto em um monte de oração, que foi alvejado por engano, por tiros da Polícia Civil, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro.

No último sábado dia 04, uma operação da Polícia Cívi do Rio de Janeiro contra o tráfico, quase terminou em uma tragédia, o evangélico Shirton Leone, da igreja Assembléia de Deus, que tem o hábito de subir o monte para orar, quase foi morto pelos disparos efetuados de um helicóptero que sobrevoava o local.

Uma tenda de cor azul, foi confundida pelos polícias que realizavam a operação, como um ponto do tráfico de drogas, usado por traficantes para avisar da chegada de policiais pela BR-101.

O monte de Campo Belo segundo o evangélico Shirton, é bastante frequentado por evangélicos, é como se fosse uma rota de peregrinação, com uma tenda azul improvisada no local, algumas pessoas chegam passar a noite orando buscando a Deus ali.

Sempre há alguém ajoelhado atrás da lona, de joelhos, fazendo suas orações lá. Faz parte da nossa rota de peregrinação. Foi um livramento não ter acabado em tragédia aquela ação, disse ele ao Extra.

Na lona azul de pouco mais de 1 metrô de extensão, as marcas de bala são fáceis de identificar. A perfuração chegou a queimar o tecido em alguns pontos devido a velocidade que os disparos atingem o solo. As cápsulas, porém, já haviam sido recolhidas.

O local de orações e acampamento dos evangélicos, agora é sinônimo de perigo e medo. Como vamos fazer nossa campanha de oração ali?. Não temos mais segurança, corrobora com a versão do diácono outro morador sem se identificar.

Nós, da congregação, acreditamos até que isso tenha sido um ato do diabo. Dessa forma ele espanta quem tem fé de subir o monte para dialogar com Deus.

O governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel, e o prefeito de Angra dos Reis, Fernando Antônio Ceciliano Jordão, que é católco, estavam na aeronave no momento dos tiros, mas não comentaram o ocorrido.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Música Gopel

Advertisement

Facebook

Trending