Pastor pede que parem com o evangelismo de confronto

Pastor explica que é evangelismo de confronto

Pastor pede que parem com o evangelismo de confronto
Pastor pede que parem com o evangelismo de confronto

O pastor Greg Stier, fundador do ministério, Dare 2 Share, recentemente falou sobre uma experiência vivida com o evangelismo de confronto, após presenciar uma cena de um pregador americano, em cima de uma escada, aos gritos enquanto confrontava os ouvintes nas ruas de Las Vegas nos (EUA).

O pastor explica que evangelismo de confronto, é aquela forma de evangelizar em que o pregador, confronta os ouvintes com o evangelho de uma maneira hostil e direta.

Jamais vou esquecer daquela cena ao pegar uma escada rolante em Las Vegas até o nível da rua com minha filha de 12 anos, Kailey. Havia centenas de pessoas na calçada abaixo de nós enquanto descíamos em direção à grande multidão.

No final da escada rolante havia um homem com um sinal de arrependimento e, sem brincadeira, um megafone. Ele gritava incessantemente “Arrependa-se!” para todas as pessoas que estava descendo a escada rolante e outras que pasava por ali.

Minha filha se virou para mim e perguntou: “Papai, o que esse homem está fazendo?” Eu respondi: “Ele está tentando compartilhar o Evangelho com a multidão aqui”.

Ela disse: “Papai, acho que o seu jeito é muito mais eficaz”.

O meu jeito não é realmente meu jeito. É a maneira como você vê modelado nas Escrituras. É uma boa notícia compartilhar as boas novas de Jesus de uma maneira boa.

Você pode estar pensando: “Bem, Jesus não pregou para as pessoas nas ruas?” E você estaria certo. Mas ele fez isso de uma maneira relacional. Ele forneceu cura para seus corpos e comida para os estômagos. E ele compartilhou a esperança com eles de uma forma amorosa e poderosa.

Paulo também pregou na rua de uma forma relacional, não de uma forma hostil. Em Atos 17: 22,23 ele inicia seu sermão ao ar livre com estas palavras: “Homens de Atenas, noto que você é muito religioso em todos os sentidos, pois enquanto eu caminhava vi seus muitos santuários. E um de seus altares tinha esta inscrição nele: ‘Para um Deus desconhecido’. Este Deus, a quem você adora sem saber, é o que estou lhe falando. “

Em vez de apenas gritar “arrependa-se” e lembrar a sua audiência de filósofos pagãos que eles estavam numa estrada para o inferno, ele encontrou um terreno comum e usou-o para apresentá-los à história do Evangelho.

De certo modo, todo evangelismo deve ser relacional. Em outras palavras, isso deve ser feito de uma maneira que busque construir pontes em vez de paredes.

Alguns chama o evangelismo de confronto, como uma forma de evangelizar, que acontece fora de um contexto de relacionamento já existente. A ideia é que, se você não tiver um relacionamento, você não “ganha o direito de ser ouvido” com essa pessoa, diz o jovem pastor Greg Stier.

O pastor lembrou do amigo Dave Gibson, do Dare 2 Share, que gentilmente consegue mudar uma conversa com as pessoas, para coisas espirituais e inevitavelmente, consegue chegar ao Evangelho. Eu tenho testemunhado ele evangelizando para inúmeras pessoas, e nunca o vi fazer evangelismo “frio de peru” de maneira conflituosa.

Ele transforma o peru frio em um panini quente e, em seguida, serve-o com um sorriso. Ele faz todo o seu evangelismo, como Jesus, de uma maneira relacional.

Às vezes os cristãos me dizem que nunca compartilham o Evangelho com um estranho, porque acreditam apenas no evangelismo relacional. Muitos categorizam qualquer estilo de evangelismo com o qual não se sentem à vontade como “conflituosos” e, infelizmente, perdem muitas oportunidades de compartilhar o Evangelho com pessoas que encontram ao longo do dia.

Eu acho que Satanás construiu uma fortaleza no coração de muitos crentes quando se trata de evangelismo. Ele construiu para evitar que eles evangelizassem, diz o jovem pastor.

A Palavra de Deus nos fala sobre as fortalezas: “Embora vivamos no mundo, não fazemos guerra como o mundo. As armas com as quais lutamos não são as armas do mundo. Pelo contrário, elas têm poder divino para demolir fortalezas. Nós demolimos argumentos e toda pretensão que se coloca contra o conhecimento de Deus, e tomamos cativo todo pensamento para torná-lo obediente a Cristo ”2 Coríntios 10: 3-5.

Vamos demolir as fortalezas em nossos corações que estão nos impedindo de falar a verdade em amor para amigos, vizinhos, familiares e os “estranhos” que encontramos no caminho. Vamos fazer todo o evangelismo de forma relacional e não conflituosa, que busque conquistar as pessoas antes de conquistar suas almas.

Sejamos boas pessoas que falam as boas novas de Jesus de uma maneira boa e nova. Pare com o evangelismo de confronto, por favor! Pede o pastor fianalizando seu texto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui