Muçulmanos condenado à morte por queimar casal cristão vivos

Muçulmanos é condenado à morte por queimar casal cristão vivos
Muçulmanos é condenado à morte por queimar casal cristão vivos

Muçulmanos é condenandos à morte, acusados ​​de linchar e queimar o casal cristão, Shahzad e Shama Masih, ainda vivos, pela Suprema Corte de Lahore no Paquistão. O casal foi acusado de blasfémia em 2014. Dois outros muçulmanos foram absolvidos.

A sentença foi proferida pela Suprema Corte de Lahore, no dia 16 de maio, cinco anos depois que Shama Bibi, de 24 anos, e Sajjad Maseeh, de 27 anos, foi apedrejado e jogado vivo no forno de tijolos onde Shahzad trabalhava.

Entenda o caso:
Casal cristão é espancado e queimado em forno de tijolos no Paquistão

O incidente começou em 4 de novembro de 2014, quando uma multidão de 400 pessoas atacou os dois depois que eles foram acusados ​​de blasfêmia.

Vivemos em um país onde um juiz da Suprema Corte, é forçado a fugir, por condenar o assassino do governador de Punjab, Salman Taseer, que foi morto por um policial muçulmano extremista, explica o advogado Hamza Arshad.

Veja também:
Casal cristão no Paquistão é condenado à morte pelo crime de blasfêmia

Segundo o advogado Arshad, a acusação de blasfémia, foi um ato de vingança do patrão muçulmano com o cristão, por causa de uma dívida não paga. Na época do ataque, sua esposa estava grávida do quinto filho.

Em sua opinião, o atraso do caso do casal Shahzad e Shama Masih, pode ser devido a um julgamento pobre ou cegueira da justiça em relação às comunidades marginalizadas.

Para Naveed Walter, presidente da Human Rights Focus do Paquistão, é chocante que cinco anos se passaram e que a justiça não tenha sido dada à família das vítimas. Infelizmente, vários casos de minorias cristãs ainda estão pendentes há anos nos tribunais.

É notorio que nos casos em que as minorias são vitimadas, o processo de justiça torna-se prolongado devido à influência dos grupos religiosos sobre os juízes. No final, atrasar a justiça é na verdade um encorajamento dos culpados.

Samson Salamat, presidente do Rwadari Tehreek, uma organização inter-religiosa de tolerância sobre a fé, observa que, a absolvição de dois dos cinco réus é uma decepção para as minorias religiosas que vivem no terror, e isso as força a acreditar que a justiça não será cumprida no caso de os outros acusados.

A organização, Rwadari Tehreek, está preocupado que o sistema judiciário deixe de proporcionar alívio às minorias em casos de ataques contra suas vidas, locais de culto e outras propriedades.

À luz disso, pedimos à honorável Suprema Corte, que verifique as pressões no governo por extremistas, porque este tipo de pressão e visível em muitos casos semelhantes, conclui.

Amigo De Cristo Noticias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui