China continua com sua repressão ao cristianismo

China faz seminário sobre o crescimento do cristianismo no país

China faz seminário sobre o crescimento do cristianismo no país
China faz seminário sobre o crescimento do cristianismo no país

Uma agência de comunicação do governo local na China realizou um seminário em abril para discutir com os membros do Partido Comunista o “enorme dano” que o crescimento do cristianismo representa para a nação ateia.

Especialistas religiosos veem isso como um sinal de que o governo está continuando sua repressão ao cristianismo e a outras minorias religiosas, coim elevações da perseguição cristã em todo o mundo.

A ChinaAid , uma organização cristã de direitos humanos que promove a liberdade religiosa e o Estado de direito na China, denunciou o seminário realizado intitulado “Enorme Furacão do Cristianismo sobre a Segurança da China”.

“O governo chinês frequentemente vê as religiões, incluindo o cristianismo, como tentativas estrangeiras de minar seu governo, mesmo que não haja base evidencial para tal alegação”

“Como resultado, eles muitas vezes tentam reprimir os adeptos religiosos e eles proíbem abertamente que os membros do Partido Comunista pratiquem uma religião”.

A agência de telecomunicações supostamente encorajou os membros do partido comunista a manter “pontos de vista corretos” sobre a religião e evitar ser persuadido por sua ideologia.

O Departamento Administrativo de Rádio Municipal de Hebi, em Henan, admitiu publicamente a realização do seminário em sua página do WeChat antes de excluí-lo dois dias depois, informou a União de Notícias Asiáticas Católicas (UCAN) .

O professor Ying Fuk-tsang, diretor da escola de divindade da Universidade Chinesa de Hong Kong, disse que o seminário reflete os rígidos controles da ideologia através de redes de telefonia e internet e acredita que o presidente Xi Jinping está destacando a ameaça da religião à China.

 Um trabalhador cristão no país relata, que o Departamento Administrativo de Rádio vinculou seus negócios a agências de segurança nacional.

“Teme-se que o número de cristãos chineses exceda o número de membros do partido e represente uma ameaça à sua ditadura de partido único”, disse ele.

O Christian Post relata que a China tem visto um crescimento exponencial dos cristãos desde a Revolução Cultural e deve ter a maior população cristã do mundo até 2030.

Andrew Boyd, porta-voz da Release International, entidade britânica que ajuda a apoiar cristãos em todo o mundo e uma organização parceira da Voz dos Mártires, disse à Fox News que o governo comunista da China se sente “encorajado pela falta de protestos do Ocidente”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui