Atentado contra igreja católica, mata um padre e cinco cristãos na África

Este é o segundo ataque contra igrejas cristãs no país africano, em duas semanas

Um padre e cinco cristãos foram mortos em atentado contra Igreja Católica em Burkina Faso
Atentado contra igreja cristã mata um padre cinco cristãos na África

Novamente a igreja cristã é vítima de ataque terroristas em Burkina Faso na África, um novo atentado contra uma igreja católica, deixou um padre e cinco cristãos mortos na manhã deste domingo 12, em Dablo.

O número de mortos coincide com o ataque do mês passado à igreja da Assembléia de Deus em Sirgadji, onde o pastor e cinco fiéis foram mortos.

Os terroristas chegaram novamente em motocicletas e interromperam a missa matinal. “Eles começaram a atirar enquanto a congregação tentava fugir”, disse o prefeito Ousmane Zongo, segundo a agência France Presse.

Eles,”ordenaram que as mulheres e crianças limpassem a cena antes de executar seis homens, incluindo o padre”, e incendiaram a igreja, informou uma Agência de notícias local de Burkina.

O padre morto, Simeão Yampa, tinha 34 anos era “uma pessoa humilde, obediente e cheia de amor, ele amava seus paroquianos”, disse o bispo local de Kaya, para Agência Fides de notícias do Vaticano.

A nação do oeste da África, que não tem acesso ao mar, sofreu centenas de ataques de jihadistas nos últimos anos, mas o ataque do mês passado à congregação pentecostal foi considerado o primeiro em uma local de culto. Este é o segundo ataque contra igrejas, em duas semanas.

O Burkina Faso é formada aproximadamente por 60% de muçulmanos e 25% cristãos, com os católicos superando os evangélicos em uma escala de 4 por 1.

O ataque deste domingo em Dablo, aconteceu um dia antes de os bispos católicos da África Ocidental se reunirem em Ouagadougou, capital de Burkina Faso, para a terceira assembléia plenária da igreja católica na África.

Hoje, mais do que nunca, a Igreja da África Ocidental, através dos Bispos, quer mostrar ao mundo que os cristãos de Burquina não estão e nunca estarão sozinhos nesta luta contra o extremismo religioso, disse à Agência Fides,  o teólogo Donald Zagore, da Sociedade para as Missões Africanas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui