Pastora não vai assumir pasta no Ministério da Educação (MEC)

A guerra dentro do Ministério da Educação

Pastora não vai mais assumir pasta Ministério da Educação (MEC)
Pastora não vai mais assumir pasta Ministério da Educação (MEC)

Pastora Iolene Lima informa que não vai mais assumir pasta da executiva no Ministério da Educação (MEC), segundo nota divulgada em seu perfil no Twitter na madrugada desta sexta-feira (22). A educadora religiosa havia sido convidada pelo ministro Ricardo Vélez.

Iolene Lima foi convidada para dirigir a pasta da secretária-executiva do Ministério da Educação (MEC), pelo ministro Ricardo Vélez Rodríguez de maneira informal pelo Twiiter do ministro, após a demissão do secretário Luiz Antônio Tozi.

O anúncio de Iolene foi feito no Twitter. “Diante de um quadro bastante confuso na pasta, mesmo sem convite prévio, aceitei a nova função dentro do ministério. Novamente me coloquei à disposição para trabalhar em prol de melhorias para o setor. No entanto, hoje, após uma semana de espera, recebi a informação que não faço mais parte do grupo do MEC”.

Saiba mais:
Ministro anuncia pastora para assumir Secretária Executiva do MEC

A guerra dentro do Ministério da Educação
A nomeação da pastora Iolene nem chegou a ser publicada no Diário Oficial da União, e diante do recuo do (MEC) em seguir adiante com a educadora religiosa que defende príncipios Bíblicos, fica claro a guerra interna dentro de um ministério de total importância na melhoria do ensino e educaação no Brasil.

Dança das cadeiras no (MEC)
Profissionais da área e entidades educacionais têm reclamado que as constantes crises e desavenças em que o MEC tem se envolvido, prejudicam a rotina diária da pasta e travam políticas importantes. Em meio à troca de cadeiras, a situação da educação no país segue caótica.

Confira anúncio da pastora Iolene Lima:

Aos meus amigos e colegas:

Depois de cinco anos à frente da direção do colégio que ajudei a fundar, deixei meu emprego a fim de aceitar um convite para, junto com outros profissionais, servir ao meu país, colaborando para um ideal que acredito: um Brasil melhor por meio da educação.

Todavia, diante de um quadro bastante confuso na pasta, mesmo sem convite prévio, aceitei a nova função dentro do ministério. Novamente me coloquei à disposição para trabalhar em prol de melhorias para o setor. No entanto, hoje, após uma semana de espera, recebi a informação que não faço mais parte do grupo do MEC,. Não sei o que dizem mas confio que Deus me guardará e guiará! Desejo ao governo do nosso Presidente Bolsonaro e ao Ministro Ricardo Vélez, o melhor! E obrigada a todos que oraram por mim e me apoiaram neste desafio! Foram milhares de mensagens de apoio! Que Deus abençoe nossa nação!

Meu abraço, Iolene Lima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui