Aline Barros vence processo na justiça movido por ex-backing vocal

A cantora ganhou o processo em que era acusada de discriminção por uma ex-backing vocal

Aline Barros vence processo na justiça movido por ex-backing vocal
Aline Barros vence processo na justiça movido por ex-backing vocal

A assessoria de imprensa da cantora Aline Barros, informou que o processo movido por sua ex-backing vocal, Janeh Magalhães pedindo uma indenização de R$ 1 milhão, foi arquivado pela Justiça do Trabalho Rio de Janeiro.

Entenda o caso, no dia 31 de agosto de 2018, Janeh foi a público declarar que foi demitida da banda de Aline por ser homossexual. Ela pediu R$ 1 milhão de indenização sob pretexto de discriminação.

A backing vocal foi contratada em 2005 e permaneceu na banda da cantora gospel até 2015.

De acordo com a sentença proferida por um juiz da 4ª Vara de Trabalho, os pedidos formulados por Janeh foram julgados como improcedentes, ou seja, não haviam provas suficientes que reforçassem a alegação da ex-backing. Ela ainda foi condenada “a pagar custas judiciais e expressivos honorários ao advogado”. O valor a ser pago foi calculado em R$ 20 mil.

No comunicado enviado nesta quinta (28), a assessoria de Aline escreveu:

“Comunicamos que após oferecer todas as informações e provas solicitadas nos autos daquela ação judicial, no dia 31/01/2019, o excelentíssimo Juiz da 4ª Vara do Trabalho proferiu sentença através da qual julgou IMPROCEDENTES TODOS OS PEDIDOS FORMULADOS PELA SRA. REJANE, condenando-a, inclusive, ao pagamento de custas judiciais e expressivos honorários advocatícios sucumbenciais, algo que pode ser facilmente verificado através de simples consulta feita junto ao site do TRT da 1ª Região.

Entre tanto, o advogado da funcionária disse que ainda vai recorrer da decisão, sobre o valor a ser pago custas judiciais e expressivos honorários de advogado.*Com informações Pleno News

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome