Siga-Nos

Política

Advogados pede afastamento imediato da ministra Damares Alves

Publicado:

em

Advogados pede afastamento imediato da ministra Damares Alves

Advogados pede afastamento imediato da ministra Damares Alves

Dois advogados de Campo Grande (MS), ajuizaram na Justiça Federal uma ação popular que pede afastamento imediato de Damares Alves, Ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. A ação foi ajuizada última terça-feira (12), o caso está na 4ª Vara Federal de Campo Grande.

Na ação popular ajuizada nesta terça-feira (12/2), os advogados José Belga Trad e Fábio Martins Neri Brandão afirmam que a ministra praticou diversos “atos incompatíveis com a moralidade administrativa, a ética e o decoro exigidos para o cargo”, que foram revelados pela imprensa e ofendem o artigo 37 da Constituição Federal. O caso está na 4ª Vara Federal de Campo Grande.

Segundo a ação, a conduta de Damares coloca em risco as finalidades institucionais da referida pasta “na medida em que estão expostas a métodos manifestamente indecorosos, desleais e indignos”.

Para exemplificar, a ação aponta que a ministra foi acusada, em reportagem da Revista Época, de ter retirado uma criança indígena de sua família. Os advogados chamam a atenção para o fato de que algumas declarações “mendazes” da ministra repercutiram nos últimos dias, “colocando o Brasil numa posição desconfortável no ambiente internacional”.

Cita ainda uma palestra de 2013, em Campo Grande, quando Damares declarou ser advogada, mestre em educação e em direito constitucional e direito da família. O título de mestre, porém, foi comprovado falso. “Agride qualquer noção de honestidade alguém se apresentar em público anunciando títulos que não possui para impor autoridade sobre seus ouvintes”, diz o documento.

De acordo com a ação, Damares “vem demonstrando fazer da mentira uma forma de adquirir autoridade perante seus ouvintes, tornando-se, portanto, perigosa para o exercício do cargo de ministra da Família e Direitos Humanos, já que esse modo de agir de todo censurável pode vir a se tornar uma política de estado”.

Clique aqui para ler a inicial da ação.
Processo: 5000992-29.2019.4.03.6000
*Com informações do Conjur

Advertisement
1 Comentário

1 Comentário

  1. jose roberto da rocha junior

    14 de fevereiro de 2019 at 16:05

    É UM PERIGO! NÃO ESQUECENDO QUE ELA FOI CARNE E UNHA DO MENTIROSO MAGNO MALTA! TEM QUE INVESTIGAR SE O DIPLOMA E FALSO E SE SIM,TEM QUE SER PUNIDA AS ALTURAS! E AVISEM PRO BOLSONARO NÃO SE APROXIMAR MUITO DE PASTORES,E PRINCIPALMENTE DO MACEDO,ESSA CLASSE É UM PERIGO P-ARA QUALQUER GOVERNANTE! A MAIORIA DELES SERVEM AO DEUS MAMON!

Deixe uma resposta

Trending