Polícia prende suspeitos de ritual satânico com morte de crianças

O templo satânico funciona em uma casa em Gravataí, na Grande Porto Alegre

Polícia prende suspeitos de ritual satânico com morte de crianças no RS
Polícia prende suspeitos de ritual satânico com morte de crianças no RS

A Polícia Civil prendeu quatro pessoas suspeitos de participação em um ritual satânico que terminou com a morte de duas crianças no (RS), incluindo o líder do templo, e outros três são considerados foragidos. A investigação começou após duas crianças terem sido encontradas mortas em um bairro da cidade do Vale do Sinos, em setembro do ano passado.

Segundo o delegado, os suspeitos negam envolvimento nas mortes e dizem não conhecer o bruxo. No entanto, ele afirma que uma das testemunhas pode ser incluída na lista de pessoas protegidas, em razão de ameaças que passou a sofrer. “Está correndo risco de vida”, afirma.

“O bruxo e os outros presos dizem que não se conhecem, mas temos provas contundentes tanto no papel quanto de testemunhas, de que se conheciam, e também do ritual, com todos ajoelhados. O bruxo falava uma língua estranha, nós acreditamos que seja aramaico”, diz o delegado.

Sobre o ritual

Conforme a investigação, o ritual para conseguir a prosperidade no ramo imobiliário, encomendado pelos sócios, envolve sacrifício, e foi cercado da simbologia do número sete. “Tudo leva a crer que no templo foi comida carne e tomado sangue”, conta Fermino.

Depois dos corpos esquartejados terem sido encontrados, em 4 de setembro, outros membros dos corpos foram localizados pela polícia no dia 18.

Quando a polícia fez a operação, incluindo a ida ao templo, que fica em uma cidade da Região Metropolitana de Porto Alegre, foi encontrada uma capa e uma máscara que eram usadas nos rituais. O material estava dentro de um cofre. As apreensões e primeiras prisões ocorreram no fim de dezembro.

Ainda conforme o delegado, o ritual foi iniciado com um dos sócios, que era evangélico, renunciando a Jesus dentro de uma igreja. Ali, ele teria derramado sangue em uma bíblia. “Temos várias bíblias que serão analisadas”, disse.

Quando indagado sobre como chegou aos suspeitos, o delegado disse, em diversas ocasiões, que foi por meio de uma revelação que chegou a ele por dois profetas. “Uma dessas pessoas estava comigo no carro, quando teve a revelação, e a outra me ligou e me pediu para levar um caderno onde seriam anotadas as revelações”.

Segundo ele, além disso, a análise do material encontrado no templo pode levar mais dois meses para ser concluído, uma vez que foram encontrados diversos documentos e vídeos, que ainda serão analisados.

(Com informações G1)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here