Cresce o número de ataques contra cristãos na Índia em 2017

Cresce o número de ataques contra cristãos na Índia em 2017
Cresce o número de ataques contra cristãos na Índia em 2017

O número de ataque contra os cristãos na Índia, aumentou nos primeiros seis meses de 2017, preocupa, pelo menos 410 incidentes foram relatados, os números divulgado e confirmado pela Missão Portas Abertas é alarmante, considerando que este é quase o total de ataques contra cristãos, registrados em 2016 – 441 incidentes relatados.

Neste ano de 2017, a Índia está classificada na posição de nº. 15 da lista da Missão Portas Abertas, entre os 50 piores países mais perigosos para os cristãos viverem. Porém estes dados alarmantes referentes só ao primeiro semestre devem fazer com que o país avance em 2018 se a perseguição religiosa continuar neste intensidade em seu território.

Somente nos meses de janeiro, abril, maio e junho, o número de incidentes neste ano foram mais que o dobro do mesmo período de 2016. Em fevereiro e março, o número de ataques foi quase o dobro do período correspondente em 2016.

Houve dois assassinatos no primeiro semestre de 2017. 84 incidentes foram com ataques violentos (liderados por extremistas hindus em 99% dos casos): a maioria das ocorrência foi extremamente grave.

“Agressores sabem que não serão penalizados”

Em 32 dos casos, os cristãos teriam morrido se não tivessem recebido o atendimento médico devido. Um parceiro local da Missão Portas Abertas disse à organização cristã que os agressores espancam os cristãos, deixando ferimentos em partes vitais do corpo.

“Quando os cristãos são espancados por extremistas, eles acabam sendo feridos principalmente em suas cabeças ou outras partes vitais do corpo”, contou o homem que pediu para ter sua identidade preservada.

Houve um incidente no início deste ano, quando a vítima foi atacada por hindus que usaram uma espada para ferir sua cabeça. A vítima foi gravemente ferida e perdeu muito, mas o agressores não se importam se causarem a morte de alguém. Eles sabem que não serão punidos, porque o governo (e, portanto, o poder judiciário) ficará do lado deles. Na maioria dos casos, os atacantes ficam impunes.

Em 37 incidentes, as vítimas foram excluídas socialmente e ameaçadas por aldeões hindus, caso não abandonassem sua fé cristã para abraçar o hinduísmo.

Em mais 34 incidentes, as vítimas foram forçadas a deixar suas casas, uma vez que não queriam deixar o cristianismo. (Em 14 destas, as vítimas tiveram que abandonar completamente a sua aldeia ou cidade).

O número de incidentes contra cristãos nos seis estados mais populosos da Índia também foi registrado. O aumento dos incidentes de perseguição no país nunca foi tão grande, dizem os analistas.

Leis que proíbem o evangelismo

No estado de Maharashtra, que na semana passada aprovou um projeto de lei para criminalizar a exclusão social com base em religião, casta ou raça, 80 incidentes contra cristãos foram registrados (32 no ano passado).

No estado de Chhattisgarh – um dos cinco que adotaram uma lei “anti-conversão” – foram registrados 122 incidentes (72 no ano passado).

Esta semana, Jharkhand se tornou o estado mais recente a levar ao Parlamento uma proposta que é similar à lei “anti-conversão”.

Embora o atual partido no poder, o BJP (Partido Bharatiya Janata), fale sobre secularismo e unidade, a realidade de suas decisões mostram que ele é que é um partido de centro-direita, unido à ala política extremista do RSS (Rashtriya Swayamsevak Sangh).

A RSS é uma organização nacionalista hindu. Seu fundador, M.S. O Golwalker identificou cinco características definidoras da nação hindu: unidade geográfica, unidade racial, unidade cultural, unidade linguística e o slogan “Hindu, Hindi e Hindustan”.

O BJP, liderado pelo primeiro-ministro federal Narendra Modi, governa muitos estados. Modi nega categoricamente a perseguição de cristãos ou outras minorias. Durante um programa de TV, ele disse que não tem conhecimento de ataques a igrejas ou outros tipos de perseguição religiosa. Porém um funcionário ligado à organização extremista hindu disse que a Índia deveria estar “livre de cristãos até 2021”.

info_Portal Guiame – Portas Abertas

COMPARTILHAR