Ataque contra cristãos coptas deixa 28 mortos no Egito

Cristãos coptas são mortos em ataque Egito
Cristãos coptas são mortos em ataque Egito

Um grupo de homens armados, atacaram um ônibus com cristãos coptas que viajavam para um mosteiro no sul do Egito nesta sexta-feira, deixando 28 mortos e ferindo outras 24, conforme informou o Ministério da Saúde.

Testemunhas disseram que homens mascarados abriram fogo depois de deter os cristãos, que viajavam em um ônibus e outros veículos. Canais de televisão locais mostraram um ônibus crivado de balas.

Ninguém assumiu de imediato a autoria do ataque, que aconteceu pouco antes do mês muçulmano sagrado do Ramadã e na esteira de uma série de ataques com bombas a igrejas cristãs no Egito reivindicadas pelo Estado Islâmico.

O presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, convocou uma reunião com as autoridades de segurança, relatou a agência de notícias estatal, e o gabinete disse que os agressores não irão conseguir dividir a nação.

Líderes muçulmanos repudiaram os assassinatos. O grande imã de Al-Azhar, centro de estudo islâmico egípcio de mais de mil anos, disse que o ataque pretendeu desestabilizar o país.

“Conclamo todos os egípcios a se unirem diante deste terrorismo brutal”, disse Ahmed al-Tayeb da Alemanha, onde está em visita. O Grande Mufti do Egito, Shawki Allam, rejeitou os perpetradores, classificando-os como traidores.

O ataque aconteceu em uma estrada que leva ao monastério de São Samuel, o Confessor, na província de Minia, que abriga uma minoria cristã considerável. Um porta-voz do Ministério do Interior disse que os atiradores desconhecidos chegaram em três veículos de quatro rodas.

Forças de segurança iniciaram uma busca pelos agressores, montando dezenas de postos de verificação e patrulhas na estrada desértica.

info_Reuters

COMPARTILHAR