Torcedor Vascaíno preso por agressão era de igreja evangélica do RJ

Torcedor Vascaíno preso por agressão era de igreja evangélica do RJ
Torcedor Vascaíno preso por agressão era de igreja evangélica do RJ

Uma das piores imagens de agressão registrada por um câmera, entre torcedores do Vasco e do Atlético Paranaense no jogo de domingo (08/12), na Arena Joinville mostra um vascaíno agredindo um atleticano caído com uma barra de ferro.

O autor da agressão foi identificado como Leone Mendes da Silvade 23 anos, e está preso, junto com outros dois, no presídio Regional de Joinville.

Torcedor Vascaíno preso por agressão era de igreja evangélicaLeone Mendes, é morador de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense (RJ). Familiares e conhecidos do jovem afirmaram que as cenas de violência protagonizadas por Leone não combinam com usa personalidade. Pessoas próximas a ele o descrevem com um descontraído e pacato barbeiro do bairro, e ex-saxofonista da banda da igreja evangélica local; ao comentar sobre o caso, sua mãe diz que espera que essa situação “sirva para ele voltar para os pés do Senhor”.

De acordo com o jornal Extra, pessoas próximas a Leone e sua família se mostraram surpresas com a violência protagonizada por ele e contam que o barbeiro, que é solteiro e filho único, é quem sustenta a casa onde mora com sua mãe, construída no mesmo terreno utilizado por outros parentes.

– Eu estou realmente surpresa. Ele foi aluno do meu marido, frequentou a minha casa e sempre foi uma ótima pessoa. Não sei o que aconteceu – disse uma vizinha.

Apesar dos relatos dos vizinhos, essa não foi a primeira vez que o jovem se envolveu em brigas entre torcidas. Em 2011 ele foi obrigado pela Justiça a permanecer oito meses longe dos estádios, acusado e “incitar a violência” contra torcedores do Fluminense.

A defesa de Leone tentará sua liberdade alegando legítima defesa. Segundo um primo do jovem, a defesa afirmará que Leone entrou na briga para se defender de agressões e, como os vascaínos eram minoria, “utilizaram o que tinham em mãos”.

Cleuza Mendes da Silva, de 48 anos, mãe de Leone, se diz surpresa com a atitude do filho, e comentou sobre o fanatismo dele pelo clube carioca.

– Ele sempre torceu pelo Vasco, mas esse fanatismo aumentou com o tempo. Eu sempre falando: “Meu filho, larga isso de jogo, de torcida”. Mas nunca pensei que ele faria uma coisa dessas. Eu preciso que ele me explique o que aconteceu lá. Ele é um rapaz bom – afirmou Cleuza, que disse também que ora para que o filho volte para a igreja.

– Eu quero que saibam que tenho ciência que o que ele fez foi errado. Não estou passando a mão na cabeça dele, mas ele tem 23 anos, emprego, carro e um salão. É trabalhador. Eu oro que isso sirva para ele voltar para os pés do Senhor e para mim. Também peço que o jovem ferido fique bem, para dar paz à mãe dele, que está sofrendo tanto quanto eu. – completou.

Informações EXTRA

COMPARTILHAR