“Não existe ‘cura gay’. Homossexualidade não é doença”, Afirma Marco Feliciano. Assista:

“Não existe ‘cura gay’. Homossexualidade não é doença”, Afirma Marco Feliciano. Assista:

“Não existe ‘cura gay’. Homossexualidade não é doença”, Afirma Marco Feliciano. Assista:
“Não existe ‘cura gay’. Homossexualidade não é doença”, Afirma Marco Feliciano. Assista:

Marco Feliciano (PSC-SP) em um vídeo publicado por ele,  fala sobre a repercussão da aprovação do projeto que ficou conhecido como “cura gay”, e fala sobre o modo como a mídia tem tratado desse assunto.

“Isso pra mim é desonestidade intelectual, afirmou o deputado e pastor que disse que o apelido “cura gay” dado pela mídia junto com os ativistas gays, na verdade é uma distorção da real proposta criada pelo deputado João Campos (PSDB-GO), autor do projeto.

Segundo Feliciano, João Campos propôs o PDC 234/2011 por ouvir queixas de psicólogos contra a resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que limita a atuação dos profissionais da área no tema.

“Não existe ‘cura gay’ porque homossexualidade não é doença. Fique isso aqui bem claro”, disse Feliciano, que contra-atacou as acusações de preconceito, dizendo que o termo “cura” foi usado apenas pelo CFP no parágrafo único do artigo 3º de sua resolução.

O pastor mencionou ainda que como o tema homossexualidade ainda não é consenso entre os estudiosos do mundo inteiro na área de psicologia, a determinação do CFP de proibir a discussão do assunto e o pronunciamento de profissionais da área sobre a questão é inconstitucional.

Marco Feliciano se exaltou quando comparou a “maldade” da mídia ao criar apelidos para projetos de lei que tenham relação com temas ligados aos Direitos Humanos, como o projeto chamado de Estatuto do Nascituro, que cria leis de proteção ao feto, apelidado de “bolsa estupro”.

O parlamentar ressaltou ainda que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) era uma “comissão vazia” antes de sua posse, e que sua iniciativa de colocar o PDC 234/2011 (apelidado de “cura gay”) para votação se deu porque ele era o único projeto em tramitação na comissão que tinha “relatoria pronta”, indispensável para que seja dado andamento.

Assista o vídeo:

Fonte: Gospel Mais


 

7 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns ao deputado e pastor Marco Feliciano pela sua fé, coragem, perseverança, paciência e longanimidade com que ele trata esses assuntos e também por saber se expressar tão claramente, sempre esclarecendo as questões ao povo, coisa que poucos políticos fazem.
    Ainda que alguns não entendam até por falta de interesse em se aprofundar na questão ou distorçam as suas palavras, o seu trabalho é bem visto por muitos.
    Que Deus proteja e abençoe a vc e sua família.

  2. Sou jornalista aposentada, e acho que cada um tem a opção sexual que desejar. Desde que o mundo é mundo, já existe esta opção.Nero era gay, e daí!!!!!Eles recolhem seus impostos porque, são diferenciados; Acho que quando é criado leis para
    proteje-los,já é preconceito.Tenho 68 anos e já dei educação a meus filhos para respeitar o ser humano.OK!!!!!!!!!

  3. Porque Feliciano agora diz que Homossexualidade não é doença, porque ele é um ser sem personalidade, copia tudo que acha que vai trazer-lhe benefícios, acontece que muitas vezes o tiro sai pela culatra. Vejam essa matéria.

    A organização Exodus International, a maior do mundo dedicada à “cura gay”, está encerrando suas atividades após 37 anos.

    Em uma carta à comunidade homossexual, bissexual e transexual, o líder da entidade missionária, Alan Chambers (foto acima), pediu “desculpas pela dor e pelo sofrimento” que ele e a organização causaram a muitas pessoas. Chambers admitiu ter atração por homem:

    “Vários anos atrás eu, de forma conveniente, omiti minha atração pelo mesmo sexo. Eu tinha medo de dividir isso. Hoje, entretanto, aceito esse sentimento como parte da minha vida”, escreveu ele, de acordo com trecho da carta publicada pelo site “Gawker”.

    Chambers disse que a organização cristã que lidera terá uma outra diretriz a partir de agora.

    Na contramão, esta semana, no Brasil, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que determina o fim da proibição, pelo Conselho Federal de Psicologia, de tratamentos que se propõem a reverter a homossexualidade. A questão foi apresentada pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da comissão.

  4. só acho que o pasto deveria se preocupa com coisas mais importante na nossa sociedade n consigo entender para que foi criado esse direito humanos

  5. Não sou advogado de ninguém e nem tenho talento para isso. Só acho importante ficarmos atentos àquilo que a mídia, na verdade, nos inculca.
    O Projeto de Lei não é de autoria do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), mas sim do deputado João Campos (PSDB-GO). Ele, sendo presidente da Comissão, não vota só administra a sessão.
    O Projeto não trata de ‘cura gay’, mas dos psicólogos terem a liberdade de atender quem se sente desconfortável com a sua orientação sexual, seja ela qual for, pois o Conselho Federal de Psicologia é que utiliza-se do termo ‘cura’ e proíbe os profissionais da área de participar de terapia para alterar a orientação sexual e de atribuir caráter patológico (de doença). É uma questão de opção do homossexual querer ajuda psicológica, não se trata de imposição e isso é um direito humano. Busca ajuda quem quiser, o CFP é que impede esse atendimento que é direito de qualquer cidadão.
    Se o ‘cara’ for hetero, dentro dos padrões da sociedade, e vive internamente num conflito com a sua sexualidade, também não pode procurar um especialista, se por acaso achar necessário?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui