Igreja Renascer esclarece oferta com sorteio pela loteria

Igreja Renascer esclarece oferta com sorteio pela loteria
Igreja Renascer esclarece oferta com sorteio pela loteria

Igreja Renascer esclarece oferta com sorteio pela loteria. A Igreja Renascer em Cristo prestou esclarecimento por meio de nota sobre a repercussão recente de que tinha criado um dizimo com seguro e sorteio pela loteria federal. A assessoria da igreja criticou o colunista do portal UOL, que escreveu a matéria, e explicou que o projeto chamado Clube Gideão não trata de campanha de dízimo e sim de uma parceria com a empresa Mongeral Aegon, na qual devem oferecer o serviço de seguro de vida para todos os que participam com ajuda nas obras assistenciais da igreja.

Renascer cria oferta com sorteio na Loteria Federal

Segundo a assessoria da Renascer, o Gideão da Conquista está ativo há mais de 20 anos e nunca teve fins lucrativos. O projeto, que é voltado para o auxílio de obras assistenciais que atendem crianças e dependentes químicos, firmou recentemente essa parceria com a seguradora Mongeral Aegon. “Por meio do acordo com a Mongeral, todos os participantes do Gideão da Conquista, pessoas que voluntariamente contribuem para a manutenção dessas obras, terão direito a um seguro de vida e concorrerão a prêmios mensais pela Loteria Federal”, diz a nota.

Segundo a assessoria, entre os programas que são sustentados pelo projeto Gideão estão o Núcleo Heliópolis, que atende cerca de 150 crianças em idade escolar, e os centros de recuperação para dependentes químicos.

A assessoria da Renascer fez duras críticas à coluna de Ricardo Feltrin do portal UOL, que segundo a Igreja, a matéria publicada pelo colunista foi difamatória e que não foi procurada pelo portal para checar qualquer informação. “O portal publicou inverdades, a começar pelo título da matéria em que diz que igreja ‘cria dízimo com seguro e sorteio pela Loteria Federal’. Em nenhum momento a igreja vinculou essa parceria ao dízimo que, de acordo com a Bíblia e sua profissão de fé, é sagrado”.

A assessoria contestou ainda a falta de informação e supostas contradições na matéria e ainda das acusações feitas pelo colunista. “A matéria do UOL não cita o Projeto Gideão da Conquista e ainda acusa a igreja de ‘tirar’ dinheiro dos fiéis, uma acusação gravíssima, já que toda e qualquer doação à igreja é voluntária. Também se contradiz ao dizer, posteriormente e na mesma nota, que essa doação ‘NÃO FAZ PARTE’ do dízimo, e ainda volta a afirmar que a igreja obriga seus membros a entregar quantias em dinheiro na proporção de 10 a 30% de seus ganhos, outra difamação”, explica nota.

Informações The Christian Post

COMPARTILHAR