Pela primeira vez, Bruno confessa que sabia do assassinato de Eliza e acusa Macarrão

Pela primeira vez, Bruno confessa que sabia do assassinato de Eliza e acusa Macarrão
Pela primeira vez, Bruno confessa que sabia do assassinato de Eliza e acusa Macarrão

Pela primeira vez, Bruno confessa que sabia do assassinato de Eliza. Pela primeira vez, Bruno reconheceu que sabia do assassinato de Eliza. Goleiro optou por não responder às perguntas de advogados.

Diante do tribunal do júri, o ex-goleiro Bruno disse nesta quarta-feira (6) que sabia da morte de Eliza Samudio e acusou seu amigo Macarrão de ter sido o mandante do crime. Pela primeira vez, Bruno reconheceu que sabia do assassinato de Eliza Samudio e contradisse a versão que contava durante as investigações.

No tribunal do júri, o goleiro afirmou que Eliza veio a Minas Gerais para receber R$ 50 mil, e que, enquanto ficou no sítio dele, não foi mantida em cárcere privado. Bruno contou que, no dia 10 de junho de 2010, Eliza saiu do sítio com o filho, Macarrão e Jorge, mas que só Macarrão e Jorge retornaram com a criança.

Bruno chorou ao contar que, neste momento, ouviu Macarrão dizer que tinha resolvido o problema que atormentava o jogador. Afirmou que o braço direito dele ajudou a matar Eliza.

De acordo com Bruno, Jorge, o primo de Bruno, disse a ele que quando entregou Eliza ao executor, Macarrão chutou as pernas dela, Bola deu uma gravata na moça e a estrangulou, que o corpo foi esquartejado e os restos mortais, jogados para os cães.

 

O goleiro optou por não responder às perguntas dos advogados de Bola, nem da promotoria.
Aos jurados, disse que não contou a verdade antes porque tinha medo que os envolvidos fizessem algo contra ele ou a família.

Réus que, durante o julgamento, dão informações que ajudam a desvendar o caso podem ter redução da pena. Foi o que aconteceu com Macarrão, em novembro do ano passado. Nesta quinta-feira, os jurados poderão decidir se Bruno também vai ganhar esse benefício, caso seja condenado.

“O Bruno não confessou nada. Ele jogou em cima do Bola, quer dizer, ele entregou o Bola”, diz  José Arteiro, advogado assistente da acusação. Bruno é acusado de homicídio qualificado e ocultação de cadáver da ex-amante, Eliza Samudio, além de sequestro e cárcere privado do filho dele com Eliza, Bruninho. A pena pode chegar a 41 anos de prisão.

“Nós vamos tratar de um homicídio simples, que a pena é de seis a 20. Ele pode cumprir 1/6 da pena para que tenha direito a uma progressão de regime ou outros benefícios de execução de pena”, afiram Lúcio Adolfo, advogado de Bruno.*(Informações JN Globo)

COMPARTILHAR