Igreja abandonada pega fogo em Santos

Igreja abandonada pega fogo em Santos
Igreja abandonada pega fogo em Santos

Igreja abandonada pega fogo em Santos.Um incêndio atingiu uma igreja abandonada na madrugada desta quinta-feira (24), no bairro  em Santos. Ninguém ficou ferido.

Segundo o Corpo de Bombeiros, que foi acionado para apagar as chamas, o incêndio ocorreu em um prédio onde funcionava uma igreja, localizado na rua Pérsio de Queiroz. O fogo atingiu o telhado da construção. Como o local estava abandonado e fechado, ninguém ficou ferido.

Segundo testemunhas, a igreja estava abandonada há cerca de três meses. A vendedora Lessandra Calvo de Santana, de 40 anos, mora ao lado da antiga igreja e disse que ficou sabendo do incêndio depois de um forte barulho. “Começou de madrugada. Nós acordamos com o estrondo, que foi muito forte. Parecia um tiroteio, um terremoto. Minha avó, de 90 anos, que escutou o barulho. Quando eu vi já estava aquele fogaréu todo, as telhas estavam pegando fogo, um fogo bem alto com risco de pegar na nossa casa”, disse ela.

Lessandra chamou o Corpo de Bombeiros. Como o local estava abandonado, a vendedora diz que não sabia quem avisar. “Deu muito medo. A gente não sabia o que fazer porque não tinha nenhum proprietário da igreja”, falou.
Interior da igreja abandonada após o incêndio
(Foto: Lizie Rodrigues/G1)

O aposentado Adilson Maneira, de 74 anos, que também mora próximo a construção, conta que o fogo começou por volta das 4h30. A princípio, ele e a mulher pensaram que eram tiros. “Quando eu fui ver já estava a labareda”, disse. Para ele, como a igreja estava abandonada faz tempo, alguns moradores de rua estavam morando no local. “Eu acho que foi o pessoal que está invadindo. Não acredito que tenha sido curto circuito. Tinha colchão dentro”, contou ele.

Ainda de acordo com o Corpo de Bombeiros, a estrutura da igreja ficou completamente comprometida. A parede com revestimento de madeira ajudou o fogo a se alastrar rapidamente. A perícia ainda vai averiguar os motivos do incêndio. A possibilidade de um curto circuito não foi descartada.Informações G1*

COMPARTILHAR