Juiz libera realização de bingo em prol de reforma de igreja

0
Juiz libera realização de bingo em prol de reforma de igreja
Juiz libera realização de bingo em prol de reforma de igreja

Graças a uma decisão da Justiça, a Igreja Nossa Senhora do Carmo, localizada no município mineiro de Santa Maria de Itabira, pôde realizar o tradicional bingo beneficente. No evento deste domingo (11/3), foram vendidas cinco mil cartelas — a cidade tem pouco mais de mil habitantes — e sorteadas três motocicletas, uma televisão, um netbook e uma caderneta de poupança no valor de R$ 5 mil.

A decisão que permitiu o acontecimento no Campo Vila Esporte Clube é do juiz Pedro Câmara Raposo Lopes , da da Vara Criminal, Infância e Juventude e Precatórias, e foi proferida a tempo hábil, na sexta-feira (9/3). Nela, ele levou em conta o “espírito altruísta” da iniciativa e lembrou o real propósito da legislação contravencional.

Hoje, os bingos são proibidos no país, por força da Medida Provisória 168, de 2004. Originalmente, o jogo de azar foi vedado pela Lei das Contravenções Penais, mas foi readmitido pela Lei Pelé.

Mas, como observou o juiz na decisão, “o objetivo da legislação contravencional não foi o de obstaculizar a realização de sorteios, prêmio, bingos e quejandos que tivessem por escopo fins altruísticos, animados tão-somente pelo espírito benfazejo, como na hipótese vertente”.

O pedido foi levado ao Judiciário pelos coordenadores da Pastoral Familiar da Igreja Nossa Senhora do Carmo. De acordo com a sentença, “a realização de obras em igrejas ou templos, como in casu , sobre ser desprovida de habitualidade e sem o intuito de lucro, não se encontra abarcada pela tipicidade material da lei contravencional”.

Na mesma decisão, o juiz concedeu Habeas Corpus de ofício para assegurar que os promotores do evento não sofressem qualquer constrangimento por eventual desrespeito à lei de contravenções penais.

Processo 0317.12.001133-1

Leia a íntegra da sentença:

A PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, por meio de seus Coordenadores da Pastoral Familar, ajuizou pedido de alará judicial para a realização de “bingo beneficente”, se realizar no dia 11.FEV.2012 na Cidade de Santa Maria de Itabira.

Como causa de pedir, aduziu que o objetivo do “bingo” é o de angariar fundos para a promoção da reforma da Igreja Nossa Senhora do Carmo, no Distrito de Itauninha, Santa Maria de Itabira, MG, mediante a venda de cinco mil cartelas e o sorteio de seis prêmios (três motocicletas, uma Televisão, um “netbook” e uma caderneta de poupança no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais)).

A Ilustre Representante do Ministério Público estadual opinou favoravelmente ao pedido.

É o RELATÓRIO do quanto necessário. Passo a FUNDAMENTAR e DECIDIR.

O artigo 50 do Decreto-lei nº 3.688, de 1941, proscreve o estabelecimento e a exploração de jogos de azar em lugar público ou acessível ao público.

A exceção legal encontrava-se na Lei nº 9.615 (a cognominada “Lei Pelé”), e foi derrogada pela Lei nº 9.981, de 2000, respeitadas as autorizações então vigentes.

Entendo, todavia, que o objetivo da legislação contravencional não foi o de obstaculizar a realização de sorteios, prêmio, bingos e quejandos que tivessem por escopo fins altruísticos, animados tão-somente pelo espírito benfazejo, como na hipótese vertente.

Com efeito, a realização de obras em igrejas ou templos, como in casu , sobre ser desprovida de habitualidade e sem o intuito de lucro, não se encontra abarcada pela tipicidade material da lei contravencional.

Pensar de forma diversa seria proscrever a realização de qualquer “ação entre amigos”, rifas de comissões de formaturas ou outros sorteios destinados a angariar recursos para atividades de cunho nobre.

Ora, não é o objeto da Paróquia a exploração do jogo de azar como atividade econômica, senão a realização em caráter episódico.

A ausência de má-fé é evidente, tanto que se dirigiram os membros da comunidade religiosa a este Juízo, aviando o pedido de alvará.

Com tais breves considerações, extingo o feito com resolução do mérito (Código de Processo Civil, artigo 269, inciso I) e JULGO PROCEDENTE o pedido para AUTORIZAR a realização do bingo beneficente a ser realizado no dia 11.MAR.2012 no Campo Vila Esporte Clube sem que, observado o intuito altruísta, seus responsáveis possam ser conduzidos perante a autoridade policial por eventual afronta ao artigo 50 do Decreto-lei nº 3.688, de 1941, servindo a presente decisão de SALVO CONDUTO como consectário de HABEAS CORPUS que defiro de ofício.

Oficie-se à fração da Polícia Militar de Santa Maria de Itabira.

Expeça-se o competente alvará.

Sem custas. Sem honorários.

Itabira, 09 de março de 2012.
PEDRO CAMARA RAPOSO LOPES
Juiz de Direito

Com in formações R7

Compartilhar
Recomendado para você

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here