Iraniana Sakineh Ashtiani liberta em casa com o filho imagens pela TV

Siga o Amigo de Cristo no Google News
Iraniana Sakineh Ashtiani liberta em casa com o filho imagens pela TV
Iraniana Sakineh Ashtiani liberta em casa com o filho imagens pela TV

As imagens de Sakineh Ashtiani em casa com o filho foram mostradas pela TV estatal iraniana. Segundo o Comitê Internacional contra o Apedrejamento, ela, o filho e o advogado já estão livres.

O Comitê Internacional contra o Apedrejamento anunciou nesta quinta-feira a libertação da iraniana Sakineh Ashtani, que foi condenada à morte por adultério e por supostamente ter participado do assassinato do marido.
Essa notícia correu o mundo, mas o governo do Irã não confirmou oficialmente.
Assista a matéria:

Fotos mostradas pela TV estatal iraniana mostram Sakineh Mohamadi-Ashanti e o filho dela em casa, aparentemente em liberdade na cidade de Osko, noroeste do Irã.
São imagens que reforçam o que disse nesta quinta-feira a líder da Comissão Internacional contra a Pena de Morte e o Apedrejamento, com sedeem Berlim. Mina Ahadi informou que Sakineh, o filho dela e o advogado já estão livres.

Sakineh foi condenada à morte em 2006, acusada de adultério e de participar do assassinato do marido. Ela
corria o risco de ser apedrejada, um tipo de execução existente até hoje no Irã, e que gerou comoção e protestos em várias partes do mundo.

As autoridades iranianas não confirmaram a suspensão da pena de morte e nem a libertação de Sakineh. Mesmo assim, a Comissão Internacional não tem dúvidas: foi a pressão de líderes mundiais e de personalidades que tirou Sakineh do corredor da morte.
O presidente Lula chegou a fazer uma oferta oficial de asilo pra ela, mas o governo do Irã não aceitou.

A ONU aprovou, no mês passado, em Nova York, uma resolução pedindo o fim dos apedrejamentos, das perseguições a minorias e dos ataques a jornalistas e advogados no Irã. O Brasil preferiu não participar da votação. Para o Itamaraty, essa é uma discussão que deve acontecer no Conselho de Direitos Humanos, em Genebra.