O Amor Ágape

O Amor Ágape
O Amor Ágape
O Amor Ágape

Ágape (em grego “αγάπη”, transliterado para o latim “ágape“), é uma das diversas palavras gregas para o amor.
A palavra foi usada de maneiras diferentes por uma variedade de fontes contemporâneas e antigas, incluindo os autores da Bíblia. Muitos pensaram que esta palavra representa o amor divino, incondicional, com auto-sacrifício ativo, pela vontade e pelo pensamento. Os filósofos gregos nos tempos de Platão e outros autores antigos usaram o termo para denotar o amor a um esposo ou a uma família, ou a afeição para uma atividade particular, em contraste com philia, uma afeição que poderia ser encontrada entre irmãos ou a afeição assexuada, e eros, uma afeição de natureza sexual.
O apostolo Paulo translitera a sublimidade dessa palavra fortalecendo o conceito cristão.
“Que para mim é o mais perto que nossa concepção sobre o amor pode alcançar por palavras, até mesmo pela palavra ‘Amor” ser um sentimento abstrato, que se abstém de tudo que não é benigno, mas manifesta sua forma literal em gestos, atitudes, sinceros digno de representar a mais perfeita semelhança de Deus na sua real essência e imagem natural.
Em 1° Coríntios 13, encontramos 15 características do “Amor” divinamente escrito na mais humilde suplicia que ninguém já mais conseguiu descrever tão bem quanto o mais sofrido do Apóstolo, o menor de todos os servos.

O amor é sofredor: Quando amamos aprendemos a renunciar nós mesmos, e aprendemos a sofrer as fraquezas, torná-las em força para continuar.

É benigno: Benigno por nos ensinar o caminho que nos conduz a felicidade, que nos leva de volta ao jardim de sua glória, de onde vimos, mas ele nos amou primeiro, se realmente amo, como digo, então procuro ser a imagem e a semelhança de Deus.

O amor não é invejoso: Esse amor que não se inveja, é certeza que realmente eu tenho a confiança que eu amo de verdade, estou livre de sentimentos como ciúme, lascívia, e me livra de desacertos no relacionamento, ou em outras áreas sentimentais e ate mesmo familiar.

O amor não trata com leviandade: Quando amamos verdadeiramente alguém, somos verdadeiros, não procuramos ser promíscuos com a verdade, mas completamente unidos no mesmo vinculo do amor que é à base de um relacionamento sadio, um leito sem macula.

Não se ensoberbece: É quando existe uma humildade, um reconhecimento mutuo, que não existe Rei sem Rainha, é a dependência da esposa, ou noiva, e o reconhecimento das conquistas conjuntas que vem das benções de DEUS.

Não se porta com indecência: É quando o caráter é colocado a prova, quando respeitamos o próximo no que desrespeita a nós mesmo, e quando deixamos de fazer o que não gostaríamos que nos fosse feito, e quando o Respeito e colocado em primeiro lugar.

Não busca os seus interesses: Esse amor é lindo é quando deixamos de olhar para nós mesmo, e procuramos livre a partilha, em compartilhar o que sentimos uns pelos outros.
E quando somos capazes de repartir o nosso Pão com o próximo, ajudar os necessitados,
Quando exercemos o amor pelo meio da obras, e o amor se transliterando, na prática, no visível, e a manifestação visível do amor.

Não se irrita: Quando somos ornamentados com as primícias do amor, temos a temperança, temos a capacidade de ouvir e falar na hora certa somos pacíficos, andamos pela longanimidade da benevolência, colhemos os frutos da paz.

Não suspeita mal: Essa qualidade, é se torna uma virtude na vida do Cristão, que não vê as coisas com maldade, mas busca a reta justiça.

Não folga com a injustiça: Esse sentimento de não folgar com a injustiça é maravilhoso,
Não conformar com a injustiça, e nem se alegrar com ela, mas sim ser a luz da justiça entre meio a obscura nuvem da injustiça, com o resplendor do amor em nossas vidas.
Mas folga com a verdade;

Tudo sofre: Quando estamos solidificados e arraigados no amor que Deus divinamente no supri, aprendemos sofrer todas as circunstâncias cruciais que vida às vezes inesperadamente nos surpreende.

Tudo crê: Acreditar no amor e viver, e não deixar a luz se apagar, é acreditar que Deus existe, e quando cremos tudo é possível ao que crê, quando acreditamos no amor, significa acreditar em nós mesmo, que somos capazes de ser feliz, e dar sempre uma nova chance para nossa vida e felicidade, e acreditar no próximo, e acreditar que somos vencedores.

Tudo espera: Esperar requer paciência, significa perseverar, se estou realmente amando, creio que Deus está agindo na vida da pessoa que amo, trabalhando e moldando como o oleiro faz com o barro. Nunca desanimo.

Tudo suporta: Pela pessoa amada somos capazes de suportar, relevar, perdoar, e amar.

Finalmente, podemos dizer que o AMOR ÁGAPE é aquele amor que se dá e se sacrifica pelo mais alto bem da outra pessoa. Tal sublime amor prático é completamente abnegado, ou seja, busca o que é melhor para aquele que ama. O AMOR ÁGAPE também é dedicado, ou seja, continua amando aconteça o que acontecer.
I Coríntios 13:1- AINDA que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
I Coríntios 13:2- E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.

Roberto Falbo

COMPARTILHAR